Não fiz apologia [à homofobia], vire essa boca pra lá, defende-se Levy Fidelix

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Luciana Genro e Eduardo Jorge exigem desculpas de Fidelix por declarações contra homossexuais

Último a debater no primeiro bloco do debate presidencial na TV Globo nesta quinta-feira (2), Levy Fidelix foi o alvo de Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV), que cobraram desculpas do candidato do aerotrem à comunidade LGBT (Lesbicas, Gays, Bissexuais e Trangêneros). No debate da semana passada, Fidelix recomendou que a maioria heterossexual combatesse a minoria gay.

Reuters
Sete presidenciáveis que participaram do debate da TV Globo na noite desta quinta-feira (02)

O primeiro a pedir desculpas formais foi o candidato do PV, para quem Fidelix ofendeu todos os brasileiros ao destratar os homossexuais. Fidelix resistiu em pedir desculpas, negando que tenha incitado violência e discriminação.

Ríspido, disse ameaçou processar Eduardo Jorge. “Você não tem moral nenhuma para falar disso. Você acima de tudo propõe que o jovem consuma maconha isso é apologia ao crime. Apologia ao aborto. Eu apenas defendi o que rege a Constituição”, disse ele. “Vire essa boca pra lá.”

Debate: Aécio diz que é oposição “coerente” e Marina garante chegar ao 2º turno

Luciana Genro foi ao púlpito na sequencia e também cobrou desculpas de Fidelix. Ela disse que Fidelix acusa gays livremente porque “homofobia ainda não é crime”. “Depois de suas declarações você deveria ter saído algemado diretamente para a prisão. Você deveria pedir perdão.”

“Mentira sua!”, rebateu Fidelix. “Em nenhum momento disse para pessoas atacarem alguém. Mas defendi a família. Eu tenho o direito de expressar minha opinião católica e cristã. Você que turbinou [o assunto] no Twitter para me prejudicar.

Luciana Genro concluiu aumentando o tom da crítica: “Seu discurso é o mesmo que os nazistas fizeram contra os judeus e os racistas contra negros”.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas