Zavascki diz que delações de ex-diretor da Petrobras envolvem parlamentares

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

"Há elementos indicativos, a partir dos termos do depoimento, de possível envolvimento de várias autoridades detentoras de prerrogativa de foro perante tribunais superiores"

Agência Brasil

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta terça-feira (30) que há elementos que confirmam o possível envolvimento de parlamentares com os fatos delatados pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. O entendimento está na decisão na qual Zavascki homologou o depoimento de delação premiada em que o ex-diretor cita nomes de políticos que receberam propina do esquema de corrupção.

A decisão de Zavascki precedeu despacho do juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal, em Curitiba, que autorizou Costa a cumprir prisão domiciliar em troca das informações prestadas. Segundo o ministro, 40 investigações estão em curso para apurar a atuação dos acusados.

“Dos documentos juntados com o pedido [de homologação] é possível constatar que, efetivamente, há elementos indicativos, a partir dos termos do depoimento, de possível envolvimento de várias autoridades detentoras de prerrogativa de foro perante tribunais superiores, inclusive de parlamentares federais, o que atrai a competência do Supremo Tribunal Federal," disse.

Com a homologação da delação premiada, os fatos delatados por Paulo Roberto Costa passarão a ser investigados pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal. O acordo tem validade até a sentença que será proferida pela Justiça Federal.

Leia também: Paulo Roberto Costa deve deixar cadeia sob monitoramento

Leia tudo sobre: Caso PetrobrasLava JatoPaulo Roberto Costa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas