Motivo para decisão foi programa eleitoral do candidato no qual ele falou sobre corrupção nos Correios, Petrobras e BB

Agência Brasil

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Tarcisio Vieira concedeu direito de resposta à Coligação Com a Força do Povo, da candidata Dilma Rousseff (PT), devido a um recente programa do candidato à presidência pelo Partido Social Cristão (PSC), Pastor Everaldo. Com a decisão, anunciada no sábado (27), ele perde um minuto de tempo de televisão no turno da noite do Horário Eleitorial Gratuito.

Veja fotos da campanha pela reeleição de Dilma Rousseff:

A decisão responde a uma representação apresentada pela candidata à reeleição e sua coligação após veiculação de uma propaganda do Pastor Everaldo no último dia 18. Na ocasião, o candidato citou que Correios, Banco do Brasil e Petrobras passam por sérios episódios de corrupção, afirmando que “nosso dinheiro está sendo roubado por esse bando de ladrões”.

Leia também:
Dilma perde 24 segundos no horário eleitoral, que será aberto por Campos

O conteúdo foi considerado pelo ministro-relator como ofensivo, ultrapassando os limites da crítica e do debate político. Na decisão, ele destacou ainda que postura semelhante por parte do mesmo candidato já havia levado o TSE a retirar um minuto no rádio e dois minutos na televisão de seu tempo de propaganda, a fim de garantir direito de resposta a Dilma Rousseff. 

Já o ministro Admar Gonzaga negou três pedidos de direitos de resposta da coligação Com a Força do Povo, que pediu a suspensão imediata de duas propagandas televisivas da coligação Unidos pelo Brasil, de Marina Silva (PSB), e uma da Muda Mais, de Aécio Neves (PSDB). Nos casos, os pedidos foram indeferidos porque o ministro não identificou declarações ofensivas a Dilma e ao PT.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.