Alckmin diz que foi "vítima de ataques paralelos" em debate na TV

Por Ana Flávia Oliveira e Anderson Passos - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

No embate promovido pela TV Record, Alexandre Padilha (PT) disse que Dilma e Lula vão ajudá-lo a chegar ao segundo turno

O governador e candidato à reeleição pelo PSDB, Geraldo Alckmin, afirmou que foi "vítima de ataques paralelos" durante o debate da TV Record desta sexta-feira (26). Em diversas oportunidades, o candidato petista Alexandre Padilha (PT) aproveitou perguntas de concorrentes nanicos para fazer críticas ao tucano.  

"Óbvio [que fui vítimas de ataques paralelos]. A regra do debate não permite responder ao ataque. Um pergunta ao outro, ataca indiretamente e não tem como eu responder”, reclamou o governador, logo após o debate.

Questionado sobre o assunto, Padilha rebateu dizendo que foi o concorrente quem se utilizou da tática.

Leia também: Alckmin, Skaf e Padilha trocam ataques duros em debate

Candidatos ao governo de São Paulo enfrentaram debate na TV Record nesta sexta-feira (26). Foto: Paulo Pinto / AnalíticaAtual governador Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição, durante debate na TV Record nesta sexta. Foto: Reprodução/TVSegundo nas pesquisas, Paulo Skaf (PMDB) usou suas respostas para se defender de acusações dos rivais. Foto: Reprodução/TVPetista Alexandre Padilha, que ocupa o terceiro lugar nas pesquisas, usou o seu tempo para atacar o rival tucano. Foto: Reprodução/TVGilberto Natalini (PV) estava entre os candidatos ao governo de São Paulo que participaram de debate na TV Record. Foto: Reprodução/TVCandidato Laércio Benko (PHS) participou de debate na TV Record nesta sexta. Foto: Reprodução/TVWalter Ciglioni (PRTB) foi criticado por jornalista da Record por não saber o nome do candidato a vice-presidente do seu partido. Foto: Reprodução/TVNo bloco 'candidato pergunta para candidato', Skaf direcionou um questionamento ao rival Gilberto Maringoni, do PSOL. Foto: Reprodução/TVEm outro momento, Maringoni (PSOL) direcionou pergunta ao candidato Gilberto Natalini, representante do PV. Foto: Reprodução/TVCiglioni (PRTB) escolheu fazer uma pergunta ao candidato Alexandre Padilha (PT), que aproveitou o tempo de resposta para criticar Alckmin. Foto: Reprodução/TVBenko (PHS) realizou uma pergunta ao petista Padilha sobre as promessas de campanha do PT. Foto: Reprodução/TVCiglioni (PRTB) questionou Skaf (PMDB) sobre supostas cobranças do SESI e foi classificado pelo peemedebista de 'mal informado'. Foto: Reprodução/TVPadilha ao lado de Eduardo Suplicy, candidato ao Senado, antes do debate da Record nesta sexta (26). Foto: iG São PauloPaulo Skaf (PMDB) nos bastidores do debate entre os candidatos ao governo de São Paulo, promovido pela TV Record . Foto: Divulgação/PMDB

"Quem fazia ataques paralelos era ele. Ele quem colocou locutores, atores na propaganda eleitoral. Eu o chamei aqui frente a frente. Ele não respondeu aquilo que eu falei. Mostrei hospitais que foram fechados pelo governo do Estado de São Paulo", argumentou o petista.

Padilha conseguiu na Justiça Eleitoral um direito de resposta sobre uma das propagandas tucanas na área da saúde.

Mais: Padilha comemora direito de resposta em programa eleitoral de Alckmin

Numa situação nada confortável nas pesquisas de intenção de voto, Padilha confia na força de dois padrinhos famosos para reverter a situação e forçar um segundo turno com o tucano. "Dia sim, dia não vamos ter atividades com o Lula e a Dilma aqui no Estado”, disse o candidato do PT ao Palácio dos Bandeirantes, citando a presidente e o seu antecessor no Governo Federal, que farão agendas de campanha no Estado na próxima semana. 

Nesta sexta, o Datafolha divulgou pesquisa que mostrou Alckmin com 51% das intenções de voto, seguido de Skaf, 22%, e Padilha, 9%. Nesta situação, o tucano venceria as eleições no primeiro turno.

Datafolha: Geraldo Alckmin tem 51%, Paulo Skaf, 22%, e Alexandre Padilha, 9%

Leia tudo sobre: Eleições 2014

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas