PT pressiona Suplicy para atacar Serra

Por Brasil Econômico - Gilberto Nascimento |

compartilhe

Tamanho do texto

Em busca da reeleição para o Senado em São Paulo, Suplicy reluta em partir para o ataque. Petista prefere uma campanha “propositiva”, mas adversários têm criticado o senador

Brasil Econômico

O candidato do PT ao Senado em São Paulo, Eduardo Suplicy, tem sido pressionado por dirigentes de seu partido para criticar o tucano José Serra, seu principal adversário na disputa. Em busca da reeleição, Suplicy reluta em partir para o ataque. Diz preferir uma campanha “propositiva”. O ex-governador do PSDB, no entanto, não tem poupado o atual senador. Em entrevista à revista Veja, disse que Suplicy “não entende nada de assuntos inerentes ao cargo” e, por isso, quando dividiram a bancada no Senado, entre 1996 e 1998, começou a chamá-lo “de picareta, na sua frente”. Ainda assim, Suplicy contemporiza. “Não sei se o Serra falou isso realmente. A revista também disse que vou processá-lo e eu não falei isso”, afirmou o senador.

Em São José dos Campos (SP), José Serra faz campanha com presidenciável Aécio Neves e com governador Geraldo Alckmin, candidato à releição por SP. Foto: Twitter/@geraldoalckimin_No bairro paulistano de Santo Amaro, Eduardo Suplicy faz campanha com presidenciável Dilma Rousseff (PSDB) e Alexandre Padilha, candidato petista ao governo de SP. Foto: Paulo Pinto/AnaliticaGilberto Kassab faz campanha na capital paulista . Foto: Divulgação/PSDO ex-governador José Serra (PSDB), que lidera a disputa pelo Senado em São Paulo. Foto: DivulgaçãoEduardo Suplicy (PT) tenta seu quarto mandato ao Senado por São Paulo . Foto: Divulgação/PTGilberto Kassab (PSD), ex-prefeito de SP, ajuda a tornar a disputa pelo Senado  mais competitiva. Foto: Último Segundo

Quem mais tem cobrado Suplicy para atacar Serra é o presidente do PT Estadual em São Paulo, Emídio de Souza. Em reunião no Instituto Lula, petistas também avaliaram que o senador estaria fazendo uma campanha “individualista”, sem oferecer ajuda ao candidato a governador no Estado, Alexandre Padilha. A campanha do senador rebate. Diz que ele tem participado de diversas atividades ao lado de Padilha. O que estaria dificultando a agenda é a falta de recursos, pois o partido não tem contribuído com a campanha. Além de ser bombardeado por Serra, Suplicy é alvo de críticas do ex-prefeito paulistano Gilberto kassab (PSD), o terceiro mais votado na campanha para o Senado em São Paulo. Para Kassab, Suplicy não tem atuado como deveria em favor de temas como a guerra fiscal e reforma tributária, além de exigir recursos federais para resolver problemas como a escassez da água em São Paulo. Suplicy a afirma que o adversário mostra desconhecimento sobre suas atividades, uma vez que fez reuniões técnicas e discursou, na tribuna, sobre a falta de água. E lembrou que o problema foi o governo estadual não ter seguido as recomendações recebidas.

Luciana Genro aposta nos “melhores” dela

A presidenciável do Psol, Luciana Genro, pegou carona no discurso de Marina Silva (PSB) de que vai governar com os “melhores”. Diz que contará com a ajuda dos “melhores parlamentares”. É uma referência ao fato de os quatro congressistas de seu partido - o senador Randolfe Rodrigues (AP) e os deputados Chico Alencar (RJ), Jean Wyllys (RJ) e Ivan Valente (SP) - estarem entre os finalistas do prêmio do site Congresso em Foco, especializado na cobertura do Parlamento.

Oposição critica entrada de filho de Campos em campanha

A entrada de João Campos, filho do ex-governador Eduardo Campos, na campanha em favor do candidato do PSB ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara, causou polêmica no Estado. “Querem continuar fazendo da comoção uma armadilha eleitoral”, disse o deputado Paulo Rubem (PDT), vice do candidato de oposição Armando Monteiro (PTB).

“Agora está todo mundo agarrado na eleição. Como a gente vai escolher a nova Executiva sem aguardar a abertura das urnas para saber qual é a cara do partido?” - Fernando Bezerra, candidato ao Senado (PSB-PE), sobre a disputa para o comando do partido, marcada para o dia 29

*Com Leonardo Fuhrmann e Patrycia Monteiro Rizzotto

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas