Apesar de insistência de parlamentares, Paulo Roberto Costa não prestou informações à investigação do Congresso

Apesar da insistência de alguns parlamentares, o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa ficou em silêncio durante a sessão desta quarta-feira (17) da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga irregularidades na Petrobras e na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

No início da sessão, os parlamentares ainda tentaram ouvi-lo em audiência secreta, como forma de persuadi-lo a colaborar com as investigações dos parlamentares. No entanto, Costa afirmou no início da sessão que se manteria calado tanto em sessão aberta, quanto em sessão secreta.

Paulo Roberto Costa permaneceu calado na CPMI que investiga a Petrobras
Reprodução
Paulo Roberto Costa permaneceu calado na CPMI que investiga a Petrobras


Apesar da determinação de Costa e não falar, o relator da CPMI, deputado Marco Maia (PT-SP) inquiriu sobre eventuais pagamentos de propina na compra da refinaria de Pasadena; Abreu e Lima, em Pernambuco, entre outras. Além disso, Maia também perguntou sobre os termos da delação premiada acordado entre Costa e a Justiça Federal do Paraná, que comanda as investigações da Operação Lava Jato

Debate : Caso Petrobras provoca confronto entre Dilma, Aécio e Luciana Genro

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.