Depoimento de Costa na CPMI da Petrobras terá forte aparato de segurança

Por iG São Paulo * | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-diretor da Petrobras denunciou a participação de agentes políticos em esquema que pode ter movimentado R$ 10 bilhões

Nesta quarta-feira (17), a partir das 14h30, a CPI Mista da Petrobras se reúne para tomar o depoimento de Paulo Roberto Costa, o ex-diretor da estatal que vem colaborando com as investigações da Polícia Federal para se beneficiar da chamada delação premiada.

Leia mais: Justiça autoriza depoimento de Paulo Roberto Costa à CPMI da Petrobras

Dilma Rousseff diz que ida de ex-diretor da Petrobras à CPI não preocupa


Daniel Castellano/GAZETA DO POVO/Futura Press
Paulo Roberto Costa se valeu da delação premiada para denunciar políticos

Em nota, o presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), divulgou que o depoimento de Costa envolverá aparato especial de segurança e que a sala de reuniões comporta apenas 60 pessoas. Assim, só terão acesso aos espaço servidores, parlamentares e imprensa credenciada. A segurança será feita pela Polícia do Senado.

Cada deputado ou senador integrante da Comissão terá direito de ser acompanhado de apenas um assessor.

A delação: Ex-diretor da Petrobras cita ministro e até Eduardo Campos em lista de propina

Paulo Roberto Costa foi preso em março, durante a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que investiga uma quadrilha especializada em corrupção, remessa ilegal de recursos para o exterior e lavagem de dinheiro. O esquema pode ter movimentado R$ 10 bilhões. A suspeita é que o ex-diretor da Petrobras tenha superfaturado contratos e desviado dinheiro de obras da estatal de petróleo.

* com Agência Senado

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas