Tucano declarou que base governista, da qual PSB fez parte, brecou projetos em nível federativo

Candidato do PSDB à Presidência, o senador Aécio Neves (MG) reforçou nesta segunda-feira (15), em visita à cidade de Linhares (ES) que os empregos estão fugindo do Brasil por causa da perda de competitividade de quem produz.

Aécio participou de caminhada em Linhares (ES) nesta segunda-feira (15)
Divulgação PSDB
Aécio participou de caminhada em Linhares (ES) nesta segunda-feira (15)

"Temos que fortalecer a nossa indústria. Para isso, precisamos nos conectar de novo com as cadeias globais de produção", ressaltou Aécio, em entrevista no aeroporto da cidade.

O presidenciável tucano afirmou que é "a única alternativa segura para que os empregos voltem a ser gerados no Brasil e para que a qualidade da saúde, da educação e da segurança pública melhorem”.


Leia mais: Se perder, PSDB será oposição a Mariana Silva, diz Aécio

Repercussão entrevista Aécio iG/RedeTV

O senador mineiro completou que vislumbra muitas semelhanças entre as duas candidatas mais bem colocadas nas pesquisas, a presidente Dilma Rousseff (PT) e a ex-senadora Marina Silva (PSB).

“Somos a única oposição viável, responsável e, acredito eu, preparada para permitir ao Brasil entrar em um ciclo virtuoso de crescimento e de desenvolvimento", acrescentou.

Pacto federativo

O tucano responsabilizou os partidos da base aliada ao governo, e até o PSB, pelo fato de temas considerados fundamentais para os estados não terem sido votados no Congresso Nacional.

“Existe uma agenda no Congresso Nacional que chamamos de Agenda da Federação. Entre elas, estão o aumento de recursos para o Fundo de Participação dos Municípios, a renegociação das dívidas dos estados e o fim da tributação do Pasep [Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público] entre entes federados."

Segundo Aécio Neves, o governo e sua base aliada, da qual o PSB, até há pouco tempo, fazia parte, impediram que a agenda da federação avançasse. "A oposição a tudo isso que está aí somos nós", concluiu.

* com Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.