Comentário é uma crítica à Marina Silva, candidata à do PSB, pela proposta em seu programa de independência do BC

Dilma atende jornalistas em entrevista coletiva no Palácio da Alvorada neste domingo (14/9)
Ichiro Guerra/ Dilma 13
Dilma atende jornalistas em entrevista coletiva no Palácio da Alvorada neste domingo (14/9)

A candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) reafirmou neste domingo (14), em coletiva à imprensa, que é contra a independência do Banco Central e que isso tornaria a órgão um "quarto poder", como o Executivo, Legislativo e Judiciário.

“Independência é uma coisa, autonomia é outra. Independência é poder. Isso vai soar muito agressivo no ouvido de todo mundo que defende independência. E aí, o quarto poder não pode ser os bancos”.

Autonomia do Banco Central pode tirar poder do presidente da República? Entenda

O comentário de Dilma é uma crítica à Marina Silva, candidata à Presidência pelo PSB, pela proposta em seu programa de governo de independência do Banco Central, dizendo que é preciso haver autonomia. A petista aproveitou para responder ao desafio lançado por Marina aos principais adversários para que divulguem seu programa de governo, como fez o PSB.

"Agora, eu não tenho de escrever um programa e dizer que sou a favor da independência do Banco Central, porque eu não sou a favor da independência do Banco Central... Todos os itens do meu programa, toda minha proposta está na rua. E o que não está na rua, eu estou apresentando proposta na TV sistematicamente e para vocês jornalistas", disse Dilma.

Segundo a presidente, um BC independente tiraria comida do prato dos brasileiros, como mostra anúncio na televisão de sua campanha que critica a proposta defendida pela candidata do PSB, no qual homens engravatados aparecem rindo ao mesmo tempo em que a comida desaparece da mesa de uma família. No anúncio, o locutor afirma que a independência do BC implicaria deixar para os banqueiros decisões sobre emprego, juros e salários.

"Um BC que não tem como meta máxima o emprego, tira sim (comida das pessoas). Tira comida, se fosse só comida tava bom. Tira comida e perspectiva da vida das pessoas. Aqui no Brasil, o BC tem de ter autonomia e tem."

Veja fotos de Dilma Rousseff em campanha:


Outros temas

Ainda na coletiva no Palácio da Alvorada, Dilma falou sobre o Programa Ciência sem Fronteiras, do governo federal. Até o final de setembro, 86 mil estudantes receberão bolsas. Mais 14 mil vagas estão abertas e 60 mil estudantes já se candidataram. Ao todo, até o fim de 2014, serão distribuídas 100 mil vagas.

Segundo Dilma, os alunos classificados dentro das vagas este ano e que não conseguirem a bolsa poderão entrar na segunda edição do programa, que também terá 100 mil vagas. Dilma ainda disse que, no futuro, o Ciências sem Fronteiras pode ter um corte por renda.

*Com Agência Brasil e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.