Ex-presidente participou de carreata do PT em São Paulo ao lado de candidatos e ainda aproveitou para defender Dilma

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou de ato do PT neste sábado (13) em São Paulo e aproveitou para fazer campanha por Dilma Rousseff e fez acusações a Marina Silva. 

"Nunca falei mal de Marina e vou morrer sem falar mal dela. Ela é que tem que explicar porque nasceu, cresceu e ganhou todos os cargos no PT e falou mal do partido nessa semana", disse Lula.

Ele esteve na capital paulista ao lado de Alexandre Padilha, candidato ao governo do estado, do senador Eduardo Suplicy, candidato à reeleição e de Fernando Haddad, prefeito da cidade, em evento político em Sapopemba que fazia parte do Dia Nacional de Mobilização pela reeleição de Dilma. 

Prefeito Fernando Haddad, candidato ao governo Alexandre Padilha, ex-presidente Lula e candidato ao senado Eduardo Suplicy em carreata petista em SP (13/9)
Paulo Pinto/Analitica
Prefeito Fernando Haddad, candidato ao governo Alexandre Padilha, ex-presidente Lula e candidato ao senado Eduardo Suplicy em carreata petista em SP (13/9)





Ainda ao se referir a Marina, Lula afirmou que um verdadeiro líder não muda de partido a todo momento e nem de opinião. Ele aproveitou para promover Dilma e seu trabalho no governo. "Um verdadeiro líder evolui e é isso que está acontecendo com a Dilma. Ela está evoluindo e propondo mais coisas para o Brasil", discursou.

O ex-presidente também falou da escolha de Dilma para ser a candidata em 2010, quando ele deixou o cargo. "Eu tinha que escolher a mais preparada para cuidar de uma família de 200 milhões de habitantes. E a pessoa mais qualificada, mais preparada, era Dilma", explicou.

Leia mais: Marina diz que PT e PSDB se uniram e fazem "campanha desleal" contra ela

Críticas ao PT

Marina Silva, candidata do PSB à Presidência da República, já se disse injustiçada e vem sendo alvo de ataques da campanha do PT. Ela também partiu para o ataque. Durante sabatina no jornal O Globo nesta semana, por exemplo, fez duras críticas ao partido citando o escândalo da Petrobras. 

"Não consigo imaginar que as pessoas possam confiar em um partido que coloca por 12 anos um diretor para assaltar os cofres das Petrobras. É isso que estão reivindicando? Que os partidos continuem fazendo do mesmo jeito? Eu espero que as pessoas virtuosas possam renovar seu partidos, para que ele voltem a se interessar pelo que são as demandas das pessoas", afirmou a candidata na entrevista.

A ex-senadora foi filiada ao PT de 1985 até 2009 e deixou o partido quando se afastou do cargo de minstra do Meio Ambiente na gestão de Lula. Marina teve divergências com o ex-presidente durante seu trabalho na pasta. Em 2010 ela se candidatou à Presidência pelo PV e, agora, assumiu a chapa do PSB depois da morte de Eduardo Campos, de quem ela era vice. 

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.