Candidatos colocam suas mulheres na disputa eleitoral após serem barrados

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

A lei eleitoral permite que as coligações possam trocar os candidatos das chapas. O prazo termina na segunda-feira (15)

Agência Brasil

Dois candidatos decidiram colocar suas mulheres na corrida eleitoral após terem os registros barrados pela Justiça Eleitoral. Em Mato Grosso, Janete Riva (PSD) assumiu a vaga do marido, José Riva (PSD), na disputa pelo governo do estado. Suely Campos (PP) foi anunciada como substituta de Neudo Campos (PP), que concorria ao governo de Roraima. A lei eleitoral permite que as coligações possam trocar os candidatos das chapas que concorrem às eleições. O prazo termina na próxima segunda-feira (15), 20 dias antes do primeiro turno.

Na quinta-feira (12), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou recurso de José Riva para ter a candidatura liberada. Por unanimidade, os ministros entenderam que ele está inelegível. Riva foi barrado pela Lei da Ficha Limpa, com base em sentença por improbidade administrativa pela Justiça de Mato Grosso.

A candidatura de Neudo Campos (PP-RR) acabou rejeitada pela Justiça Eleitoral de Roraima, em função de uma condenação por peculato e rejeição de contas pelo Tribunal de Contas de União (TCU).

Em 2010, Joaquim Roriz, candidato ao governo do Distrito Federal, lançou a candidatura de sua mulher, Weslian Roriz, após o Supremo Tribunal Federal (STF) julgar a validade da Lei da Ficha Limpa. O candidato vencedor foi o atual governador, Agnelo Queiroz (PT).

Leia tudo sobre: eleições 2014lei eleitoral

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas