Dinheiro foi apreendido por policiais durante abordagem a motorista que trabalha no gabinete do parlamentar piauiense

O senador Wellington Dias (PT-PI), que disputa do governo do Piauí, negou que o carro usado por José Martinho Ferreira de Araújo seja dele. Nesta quinta-feira, próximo ao município de Barreiras, interior baiano, Araújo chegou a ser detido por policiais rodoviários depois que foram encontrados R$ 180 mil escondidos debaixo do banco de trás do veículo. O senador usou as redes sociais para rejeitar a versão de que o veículo seria seu.

Leia mais: veja a cobertura completa das eleições no iG

“Informo que o Sr. Martinho trabalha no Senado, de férias, viajava para o Piauí num carro dele, particular (nem é carro meu nem do Senado), o sobrinho dele, Paulo, estava com carteira vencida (nāo era documento falso) e que levava um dinheiro seu para comprar uma propriedade no PI, sua terra, onde cria animais na propriedade do seu pai. Foi liberado. A Globo mentiu que o carro era meu para confundir e permitir uso eleitoreiro. Estamos pedindo direito de resposta e processando por crime”, disse o senador.

iG Brasília: No Piauí, Dias tem 49% e Zé Filho soma 22%, diz Ibope

Em nota, Dias também negou qualquer ligação com o episódio ou com a quantia em dinheiro apreendida pela polícia. "O senador Wellington Dias (PT-PI) esclarece que não tem qualquer relação com o fato ocorrido no município de Barreiras, na Bahia, envolvendo o senhor José Martinho Ferreira de Araújo, servidor do Senado Federal, que, no momento do fato noticiado, se encontra de férias das suas funções, estando, portanto, em viagem pessoal sem qualquer ligação com a atividade do Senado ou do próprio senador. O carro usado não pertence ao senador ou ao Senado”, afirma ele no documento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.