Estudo revela que eleitores mais velhos priorizam reforma econômica e jovens buscam qualidade dos serviços públicos

A 22 dias do primeiro turno das eleições, 92% dos eleitores não acreditam que os candidatos eleitos farão as mudanças necessárias no Brasil. O dado é da pesquisa inédita Radar Ideia Popular - Mudança Política,  divulgada nesta sexta-feira (12), em parceria entre os institutos Data Popular e Ideia Inteligência. O estudo revelou ainda que para 46% dos entrevistados, com 45 anos ou mais, uma reforma na economia e o controle da inflação deverão ser as prioridades dos políticos eleitos neste pleito.

Sabatina: "Obras atrasaram por responsabilidade de Marina", diz Dilma ao iG e RedeTV

Pesquisa mostrou prioridades diferentes entre as faixas etárias dos eleitores brasileiros
Reprodução/Radar Ideia Popular
Pesquisa mostrou prioridades diferentes entre as faixas etárias dos eleitores brasileiros

Já os eleitores mais jovens (41%), com idades entre 16 e 24 anos, elegeram como a maior urgência do Brasil a qualidade dos serviços públicos. "As pessoas estão interessadas nos problemas cotidianos. A inflação tira dinheiro do meu bolso todo mês. E os candidatos hoje, quando falam de inflação, usam juros e índices e não falam para a dona Maria ou o seu José", avalia Renato Meirelles, presidente do Data Popular, ressaltando que há uma desconexão da classe política com as demandas reais da sociedade.

Meirelles tornou-se uma referência para empresas e candidatos pelo vasto conhecimento que adquiriu com o Data Popular. Especializado em pesquisas com a população de baixa renda – a maioria dos brasileiras – o instituto permitiu ao sociólogo virar uma espécie de oráculo dos sentimentos da sociedade e do comportamento do novo consumidor. Não à toa, as pesquisas do Data Popular passaram a pautar empresas e políticos nos rumos a seguir, embora o instituto, por estratégia própria, só preste serviço para as primeiras.

CNI/Ibope:  Dilma está com 39%, Marina, 31%, e Aécio, 15%,mostra pesquisa

Datafolha: Dilma está com 36%, Marina, 33%, e Aécio, 15%

Mais Datafolha: Dilma cresce em SP, Aécio é vice em Minas e Marina dispara no DF

Esse know-how passou este ano a ser ampliado para temas que se refletem na disputa eleitoral. É o caso desta última pesquisa. Realizada no último dia 6, contou com 29.632 entrevistas feitas por telefone com eleitores de 129 cidades de todo o Brasil. O levantamento mostrou também que a maioria dos brasileiros acredita que "mudança política" significa mudar o governante e a forma como se governa. E, curiosamente, são os eleitores mais jovens que têm opinião mais radical sobre o tema. Para 72% dos eleitores com idade entre 16 e 24 anos, mudança politica significa mudar o governante e a forma como se governa. Entre os mais velhos, o índice é de 60%.

Para Meirelles, o jovem tem o maior censo de urgência entre os eleitores devido à escolaridade e o constante acesso a informações. "71% dos jovens hoje estudaram mais do que os pais. São parte de uma geração mais conectada do que a geração anterior. Isso cria um censo de urgência para a resolução dos problemas."

Ao contrário das pesquisas eleitorais, que revelam a intenção de votos do eleitorado e disputas entre partidos A ou B, a  Radar Ideia Popular - Mudança Política  buscou revelar o pensamento do brasileiro e colocar o eleitor como protagonista das eleições 2014.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.