Presidente do STF não deve ser exemplo de intolerância, diz Marco Aurélio Mello

Por Wilson Lima -iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Sem citar o ex-presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, Mello disse que “diálogo construtivo entre todos os membros deve imperar, sob pena de dar-se exemplo negativo”

Durante a posse do ministro Ricardo Lewandowski como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Marco Aurélio Mello mandou um recado ao antecessor de Lewandowski à frente da Corte, o ex-ministro Joaquim Barbosa, aposentado em agosto. Segundo Mello, “o diálogo construtivo entre todos os membros deve imperar,sob pena de dar-se exemplo negativo de intolerância e autoritarismo”.

Agência Brasil
Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia tomam posse nos cargos de Presidente e Vice-Presidente do STF e do CNJ, respectivamente


Em seu discurso de homenagem à Lewandowski, Mello afirmou que “ao Supremo incumbe a chefia do Judiciário nacional, mas esse comando surge em regime essencialmente democrático, no qual o diálogo construtivo entre todos os membros deve imperar,sob pena de dar-se exemplo negativo de intolerância e autoritarismo”, disse o ministro sem citar Joaquim Barbosa.

Mais: Ministro Lewandowski toma posse no STF prometendo reformas no Judiciário

Depois ele complementou. “A divergência pertence ao mundo jurídico, ao mundo dos fatos, às relações sociais, e ajuda a evoluir. O direito fundamental a ser diferente, a pensar diferente, não resulta no isolamento. Certa vez, chamaram-nos de “onze ilhas”. Não podemos ser. O diálogo entre os pares dignifica e legitima o processo decisório”,
pontuou.

“Em colegiado, completamo-nos mutuamente. Temos o dever, cada um de nós, de respeitar as opiniões contrárias e de levá-las em consideração.É nosso sacerdócio defender o direito de expressão do dissenso e, a partir dele, construir o consenso. Apenas assim este Tribunal contribuirá para a construção da cidadania e para o
fortalecimento da democracia. Ao Supremo cumpre fomentar a harmonia
entre os Poderes da República, atuando com responsabilidade, independência, respeito e urbanidade”, declarou.

A gestão Joaquim Barbosa à frente do STF foi marcada por várias discussões entre os ministros. Por conta de seu temperamento forte, Barbosa, em diversas ocasiões, trocou ofensas com colegas da Corte, principalmente durante o julgamento do mensalão, em 2012.

Leia tudo sobre: STFRicardo Lewandowski

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas