Com ajuda da internet, Luciana Genro dobra arrecadação no PSOL

Por Vitor Sorano - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Com 1% das intenções de voto à Presidência, candidata consegue levantar R$ 213 mil; 11% das doações foram pela web

A campanha do PSOL à Presidência da República, liderada por Luciana Genro, conseguiu dobrar a arrecadação em relação a 2010, quando Plínio Arruda Sampaio era o candidato. Até 2 de setembro, Luciana conseguiu captar R$ 213 mil. A informação é de Mariana Riscali, da coordenação da candidatura. Há quatro anos, no mesmo período, o partido obteve R$ 109.472,86 de receita. 

Segundo a pesquisa de Datafolha de 3 de setembro, Luciana tem 1% das intenções de voto. Plínio chegou ao final do primeiro turno, em 2010, com 0,87% dos votos válidos, cerca de 886 mil votos.  

Eleições 2014: Acompanhe a cobertura completa

Otimista em relação à arrecadação até o fim do primeiro turno, Mariana diz que o PSOL já contava com este valor em doações. "Está dentro do esperado. Agora é que a campanha está ganhando mais volume", 

Parte do crescimento da arrecadação em 2014 é explicado pela doação via internet - uma ferramenta que o partido explora como poucos. Até agora, Luciana conseguiu captar, com 200 pessoas, cerca de R$ 15 mil pelo site Contribuir Luciano Genro. O valor equivale a 7,5% do total do total arrecadado, ou 11% se contabilizadas apenas as doações (excluído, por exemplo, o dinheiro oriundo do Fundo Partidário).

Em 2010, Plínio obteve R$ 7,2 mil via web, ou 1,7% da receita final da campanha, de R$ 411,3 mil, ou 1,9%.

Luciana Genro disputa as eleições para Presidente pelo PSOL. Foto: Divulgação/FacebookLuciana Genro se emociona durante visita ao Dopinha, em Porto Alegre, e ao falar sobre a Lei da Anistia (23/8). Foto: Divulgação/PSOLCandidata do PSOL à Presidência escuta Raul Ellwanger cantando "Solo le pido a Diós" durante visita ao Dopinha (23/8). Foto: Divulgação/PSOLLuciana Genro em campanha para as eleições 2014. Foto: Agência BrasilCandidata à presidente Luciana Genro (PSOL) grava programa eleitoral em Porto Alegre. Foto: Divulgação/PSOLLuciana Genro caminha por Santo André, região do Grande ABC de São Paulo (19/7). Foto: Facebook/Luciana GenroLucina Genro fez panfletagem na fila do restaurante da Universidade Federal do Rio Grande do Sul nesta segunda-feira (11). Foto: : Fábio Pozzebom/ Agência Brasil

"O pessoal do PSOL tende a captar muito bem. Divulgam muito", diz Mariana Spinelli, fundadora e sócia da Um a Mais, empresa que opera a plataforma de arrecadação de Luciana Genro e de outras 10 candidaturas, inclusive a da presidente Dilma Rousseff (Doe Agora Dilma), que tem 35% das intenções de voto no Datafolha.

Mariana cita também o caso de Marcelo Freixo (PSOL). Candidato a deputado estadual do Rio de Janeiro, Freixo obteve R$ 38,6 mil pela internet, ou 42% da receita até agora (R$ 92,7 mil). O valor corresponte a 15,4% dos R$ 250 mil obtidos pelas 11 candidaturas a Assembleia Legislativa fluminense. 

"A Dilma captou mais em valores absolutos", diz Mariana. "[Mas] Freixo é o que capta melhor. Para um deputado estadual, R$ 40 mil é um valor bem alto."

Segundo a campanha do PT, Dilma captou R$ 145.029 via internet, em 853 doações. O valor equivale a 0,12% dos R$ 123,3 milhões arrecadados pela campanha até agora. O percentual é o mesmo de 2010.

Até agora, as plataformas do Um a Mais registraram cerca de 2 mil doações, o que dá uma média de R$ 125 por contribuição. O valor está próximo aos R$ 131,50 do Catarse, site de financiamento coletivo de projetos, e que não pode ser usado por campanhas eleitorais.

"No Kickstarter, por exemplo, [a média é de] de U$ 187 [R$ 418]", diz Felipe Caruso, do Catarse.

Marina Silva arrecada proporcionalmente menos pela internet

Embora seja a candidata com mais seguidores no Facebook e tenha visto sua popularidade disparar nas últimas semanas na rede social mais usada pelos brasileiros, Marina Silva (PSB) - 34% no Datafolha - tem arrecadado relativamente um pouco menos pela internet do que há quatro anos.

Em 2010, a candidata - então no PV - conseguiu captar R$ 209 mil pela internet, ou cerca de 0,7% dos R$ 31 milhões de receita declarados ao TSE. Neste ano, o percentual caiu para 0,5%: de R$ 20 milhões, R$ 100 mil vieram pelo Seguro Marina Silva, segundo a equipe de campanha.

Terceiro colocado nas pesquisas, com 14%, Aécio Neves (PSDB) não lançou site de arrecadação.

%

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas