Tucano criticou rival que é favorita nas recentes pesquisas. Ele também declarou apoio à criminalização da homofobia

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, promoveu uma reviravolta em sua estratégia eleitoral com relação à Marina Silva (PSB). Ultrapassado pela socialista nas pesquisas eleitorais, Aécio vinha mantendo tom cordial com adversária e dedicando sua artilharia para a presidente Dilma Rousseff (PT).

Acompanhe: Candidatos ao governo do Rio de Janeiro enfrentam debate RedeTV-iG

No final da tarde desta terça-feira, em São Paulo, o senador mineiro resolveu abrir a caixa de ferramentas contra Marina e contestou o discurso da socialista. “O Brasil precisa saber objetivamente em qual Marina vai votar”, disse Aécio, que em seguida começou a elencar uma série de contradições da candidata do PSB.

Candidato Aécio Neves ao lado do ex-presidente FHC no comitê da campanha, em São Paulo
Orlando Brito/Coligação Muda Brasil
Candidato Aécio Neves ao lado do ex-presidente FHC no comitê da campanha, em São Paulo

“Vejo um improviso muito grande em suas propostas de governo. Ou é a Marina que hoje ataca de forma contundente ao PT. Ou a Marina que por mais de 20 anos fez sua trajetória, como vereadora, deputada estadual e senadora pelo PT. É a Marina, que em seu programa de governo defende os pilares macroeconômicos da política econômica conduzida pelo presidente Fernando Henrique, ou a Marina que, dentro do PT, se colocou contra o plano real ou que votou contra a lei de responsabilidade fiscal”, questionou Aécio.

Sabatina: Marina diz ser melhor falar com Lula e FHC do que com Sarney e Maluf

Na TV, Dilma compara Marina a Collor e Jânio Quadros

“É a Marina que combate violentamente os mal feitos e a corrupção ou a Marina que, como ministra, se calou no momento das denúncias do mensalão e permaneceu no governo. É a Marina que hoje se oferece como parceira do agronegócio, setor absolutamente essencial ao desenvolvimento, ao crescimento do país, ou a Marina que apresentou em 1999 um projeto proibindo que se cultivasse transgênicos no país”, prosseguiu o tucano em entrevista coletiva ao lado do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Aécio abriu sua fala estabelecendo uma dicotomia entre as candidaturas de oposição de um lado e a de Dilma de outro. “De um lado existe uma candidatura oficial, a candidatura do PT. Que fracassou. Fracassou na gestão da economia. Nos deixará um País com recessão e inflação saindo do controle. Fracassou na gestão do Estado, na maioria de nossos indicadores sociais”, afirmou ele. “Estou convencido de que a candidata oficial, a candidata do PT, vai perder essas eleições porque entregará um País pior do que o que recebeu”, acrescentou.

Veja imagens do candidato Aécio Neves em campanha pelo País:

Em seguida, Aécio iniciando questionamentos comparando sua equipe à de Marina. “Estamos apresentando ao Brasil uma alternativa consistente, coerente com a nossa história e com nossas convicções, além de quadros extraordinários que não precisamos buscar olhando por cima do muro do vizinho para encontrar. Nós os encontramos no nosso entorno, porque são pessoas que pensam como nós durante toda sua vida”, ironizou o tucano.

Criminalização da homofobia

O candidato tucano disse ainda ser favorável à criminalização de atos de discriminação contra homossexuais. “A meu ver, a homofobia deve sim ser tratada como crime”. O senador mineiro também defendeu a união civil entre pessoas do mesmo sexo.

“A união entre pessoas do mesmo sexo já tem uma definição do Supremo Tribunal Federal, não há que se fazer qualquer questionamento em relação a isso”, acrescentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.