Coordenador paulista de campanha de Aécio Neves diz que quem vota no tucano também vota na ex-senadora

Tucano de alta plumagem, o ex-governador paulista e atual coordenador da campanha de Aécio Neves, em São Paulo, Alberto Goldman, evitou falar nos corredores do debate que presidenciável tucano está fora do segundo turno, mas já tenta colar o PSDB à Marina Silva (PSB). 

Veja os principais momentos desta campanha:

Em entrevista, ele afirmou que o eleitor do tucano é o mesmo que está declarando voto na pessebista e por isso um candidato deve apoiar o outro em eventual segundo turno. "Quem ficar apoia o outro."

Goldman também aproveitou para aconselhar o correligionário Duarte Nogueira, presidente da sigla. Nogueira foi questionado sobre a declaração do coordenador nacional da campanha de Aécio Neves, José Agripino Maia, segundo quem Marina já estaria no segundo turno. Inseguro em responder porque não teria ouvido a declaração, foi interrompido por Goldman.

"Eu não discutiria isso se eu não vi", aconselhou Goldman. Nogueira entendeu o recado e mudou de assunto.

Maurício Rands, coordenador do programa de governo de Marina, também evitou comentar a possibilidade de buscar o apoio do PSDB no segundo turno, mas não descartou a possibilidade. "Essa discussão nós deixamos para o segundo turno", disse.

Leia mais:  Dilma, Marina e Aécio se enfrentam no segundo debate presidencial

Datafolha: Marina dispara, empata com Dilma e derruba Aécio

Goldman e Rands acompanham debate entre os presidenciaveis promovido pelo STB, jornal Folha de São Paulo, rádio Jovem Pan e portal Uol. 

Marina tem 34% das intenções, empatada com a presidente Dilma Rousseff (PT). O candidato tucano perdeu cinco pontos percentuais e está em terceiro, com 15% das intenções de voto, segundo Datafolha, divulgado na última sexta-feira (29). 

A ex-senadora entrou na disputa no lugar do ex-governador pernambucano Eduardo Campos, que morre um acidente aéreo no último dia 13. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.