'PT não estará no meu palanque', diz Skaf em primeiro debate com concorrentes

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Candidato diz que não repetirá apoio de 2010, mas confessa 'voto pessoal' a Temer, presidente do PMDB e vice de Dilma

O candidato ao governo de São Paulo, Paulo Skaf (PMDB), reiterou neste sábado (23) que não dará espaço em seu palanque ao PT e muito menos apoiará a candidatura da presidente Dilma Rousseff. A declaração foi dada durante debate entre concorrentes ao Palácio dos Bandeirantes e após duro questionamento de Laércio Benko (PHS) na TV Band.

Mais: Candidatos ao governo de São Paulo lamentam ausência de Alckmin em debate

Veja imagens do debate entre os candidatos ao governo de São Paulo:

Primeiro debate entre candidatos ao governo de São Paulo foi realizado neste sábado na TV Band. Foto: Paulo Pinto/ Fotos PúblicasCandidatos da esquerda para direita: Laércio Benko (PHS), Gilberto Natalini (PV) e Walter Ciglioni (PRTB). Foto: Paulo Pinto/ Fotos PúblicasCandidatos da esquerda para direita: Alexandre Padilha (PT), Paulo Skaf (PMDB) e Gilberto Maringoni (PSOL). Foto: Paulo Pinto/ Fotos PúblicasSegundo colocado nas pesquisas de intenções de voto, Paulo Skaf afirmou que PT não estará no seu palanque, mas... Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas...confessou que irá apoiar o presidente do seu partido PMDB, Michel Temer, que é vice da presidente Dilma Rousseff. Foto: Paulo Pinto/ Fotos PúblicasO candidato do PT chegou aos estúdios da TV Band exibindo um CD que teria todas as falsas promessas do atual governador. Foto: Paulo Pinto/ Fotos PúblicasDurante quase todo o debate, Padilha reforçou o apoio que tem do ex-presidente Lula e da atual Dilma Rousseff. Foto: Paulo Pinto/ Fotos PúblicasLaércio Benko (PHS) durante o debate dos concorrentes aos governo de São Paulo. Foto: Paulo Pinto/ Fotos PúblicasGilberto Natalini (PV) lamentou a ausência de Geraldo Alckmin no debate. 'Desejo melhoras ao governador e o esperamos no próximo debate'. Foto: Paulo Pinto/ Fotos PúblicasO candidato Maringoni (PSOL) durante o debate rivais ao governo de São Paulo. Foto: Paulo Pinto/ Fotos PúblicasCiglioni (PRTB) foi o único candidato que não lamentou a ausência de Geraldo Alckmin neste debate. 'Nós entendemos a ausência dele'. Foto: Paulo Pinto/ Fotos PúblicasO primeiro debate entre candidatos ao governo de São Paulo foi mediado pelo jornalista Boris Casoy. Foto: Paulo Pinto/ Fotos PúblicasPaulo Skaf chega aos estúdios da Band neste sábado para o primeiro debate ao governo de SP. Foto: Marcos Bezerra/Futura Press

No primeiro bloco de perguntas, Benko escolheu questionar o segundo colocado nas pesquisas de intenções de voto. "O senhor apoiou a Dilma em 2010. O senhor vai trazer o estilo Dilma de governar para São Paulo?", lançou o representante do PHS.

Skaf rebateu: "Assim como o PT, o PSDB, PV e os demais aqui são meus adversários em São Paulo. Com todo respeito ao candidato [Padilha], o PT não estará no meu palanque. Eu já me manifestei em relação a isso por questão de incoerência", defendeu.

Reprodução
Paulo Skaf (PMDB) participa do primeiro debate entre candidatos ao governo de São Paulo

O candidato citou "incoerência" por representar o  PMDB, partido de Michel Temer, atual vice na chapa de Dilma Rousseff. "Michel Temer é presidente do meu partido e vice da Dilma. Meu voto é do Temer". Não satisfeito, Benko continuou: "Não estamos mais nos tempos que votávamos para vice. Em quem o senhor vai votar para presidente?".

O candidato do PMDB então encerrou: "Eu entrei na política para fazer uma história diferente, não tenho compromissos com nenhum partido. Fui claro, mas talvez você não tenha entendido. Meu voto pessoal será para Michel Temer".

A pergunta de Benko gerou certo desconforto na plateia, composta por ao menos 200 pessoas entre políticos e profissionais da imprensa. 

*colaborou a repórter Ana Flávia Oliveira, enviada aos estúdios da TV Band

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas