Concorrentes desejam melhoras ao governador, que está internado no hospital InCor; o 1º debate começou às 22h10

Os concorrentes de Geraldo Alckmin (PSDB) ao Palácio dos Bandeirantes lamentaram a ausência do governado no primeiro debate da corrida eleitoral  realizado neste sábado na TV Band. O tucano segue internado no Instituto do Coração (InCor), na capital paulista, após apresentar problemas gastrointestinais. Alckmin foi diagnosticado com uma infecção bacteriana na tarde de sexta-feira.  

Paulo Skaf chega aos estúdios da Band neste sábado para o primeiro debate ao governo de SP
Marcos Bezerra/Futura Press
Paulo Skaf chega aos estúdios da Band neste sábado para o primeiro debate ao governo de SP

O primeiro debate das eleições 2014 começou por volta das 22h10. Gilberto Natalini (PV) foi o primeiro político a falar com os jornalistas e logo lamentou a ausência de Alckmin neste sábado. "Acho que ele fará muita falta porque é o candidato mais bem colocado nas pesquisas e é o atual governador do Estado. Tenho uma série de perguntas que gostaria de fazer para ele, que está doente. A gente respeita e lastima". 

O segundo colocado nas pesquisas Paulo Skaf, candidato do PMDB, também lamentou a ausência de Alckmin, mas não acredita que o debate perdeu força. "O debate não tem alvos. Não vejo ninguém como alvo, nem o Alckmin. Lamentamos a ausência dele". Skaf afirmou ainda estar com grandes expectativas para o confronto com os rivais. "Como eu quero ser mais conhecido em São Paulo, meus projetos e minha visão, o debate é uma boa oportunidade para isso".

Veja imagens do debate entre os candidatos ao governo de São Paulo:

O candidato Alexandre Padilha (PT) disse estar pronto para o confronto com os rivais e que preparou até um CD com as compromissos feitos e não cumpridos pelo atual governador em 2010. Ele desejou melhoras ao concorrente. "Torço para que ele se recupere porque São Paulo precisa de um candidato mais ativo e presente. Tenho certeza que a gente vai se encontrar no próximo debate", disse.

Ao contrário dos concorrentes, Walter Ciglioni (PRTB) disse que não há nenhuma perda com a ausência do governador. "Nós entendemos a ausência dele por problema de saúde". Já Gilberto Maringoni, candidato do PSOL, discordou e chamou Alckmin de "figura central do debate". "Temos que debater a questão do cartel do metrô, crises de água e o financiamento de campanha das empresas, que são res em processo for formação de cartel. 

Três minutos antes do debate, quando o locutor da emissora preparavam os presentes, vazou o áudio de uma propaganda do ex-presidente Lula falando sobre os Mais Médicos. O fato arrancou risos de parte da plateia, com 200 pessoas, e do candidato Padilha. Inicialmente, o debate estava marcado para o dia 14 de agosto, mas foi remarcado após o trágico acidente que matou o presidenciável Eduardo Campos. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.