Indicação de deputada parece ser tentativa de encerrar crise que se instalou na campanha com saída de Carlos Siqueira

Luiza Erundina é a nova coordenadora da campanha da Coligação "Unidos Pelo Brasil", liderada por Marina Silva e que tem o deputado Beto Albuquerque como vice. O PSB emitiu comunicado na noite desta quinta-feira (21) confirmando que a deputada federal e ex-prefeita de São Paulo está assumindo o comando.

A decisão parece ser uma tentativa de encerrar a crise que se instalou na candidatura desde que Marina colocou o ex-deputado Walter Feldman na coordernação da campanha para dividir o camando com o antigo coordenador chefe, o socialista Carlos Siqueira. 

Beto Albuquerque discursa e é ouvido por Roberto Amaral (centro), Luiza Erundina e Marina Silva no lançamento da chapa do PSB, em Brasília (20/08)
Valter Campanato/Agência Brasil
Beto Albuquerque discursa e é ouvido por Roberto Amaral (centro), Luiza Erundina e Marina Silva no lançamento da chapa do PSB, em Brasília (20/08)


Siqueira não gostou da maneira que a mudança foi feita e abandonou a campanha na tarde desta quinta, criticando fortemente Marina.  

"Não há acordo com a senhora Marina Silva. Quando uma pessoa é acolhida numa instituição, ela se torna uma hospedeira. É isso que ela é. Então, ela tem de respeitar esta instituição”, declarou Siqueira, em entrevista na sede do PSB. “Quem ela pensa que é? Ela manda na Rede dela, não no PSB”, prosseguiu Siqueira, citando o Rede Sustentabilidade, partido fundado por Marina, que ainda não teve o seu funcionamento oficializado. A ex-senadora se filiou aos socialistas neste ano com o compromisso de migrar para a própria agremiação em 2015. 

Leia mais:  “Ela está longe de representar o legado de Campos”, diz Siqueira sobre Marina

Deixando claro que não entraria em acordo com Marina, Siqueira ainda questionou a possibilidade da ex-senadora levar adiante o legado de Eduardo Campos, que era o antigo cabeça da chapa presidencial do PSB, mas que morreu num desastre aéreo no dia 13 de agosto. 

Questionada sobre a crise, Marina disse que houve um mal-entendido. “Houve um equívoco, uma incompreensão com o que está acontecendo. É um momento delicado para todos nós. Há de ser ter uma compreensão com a sensibilidade das pessoas. Não é porque você sofreu uma injustiça que você tem que fazer outra injustiça”, respondeu a socialista.

Erundina, que havia sido apontada como possível candidata à vice-Presidência , foi designada  para a coordenação geral da campanha pelo presidente nacional do PSB, Roberto Amaral. 

Ainda nesta quinta-feira, acompanhada de Amaral, Marina participou de reunião com dirigentes do PPS, PPL, PHS, PRP, PMN na sede do PSB em Brasília. Estiveram presentes também dirigentes do Rede Sustentabilidade.

Marina evocou Campos no encontro e falou sobre o esforço para manter as legendas unidas. "Os partidos que compõem a aliança que se iniciou com o trabalho de Eduardo Campos darão continuidade a esse legado, na forma do nosso programa", afirmou.

Mais da crise no PSB: 
'Há de se ter compreensão com as pessoas', diz Marina após saída de coordenador
PSB pedirá ajuda de Renata Campos para conter debandada na campanha de Marina


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.