Com Fleury na equipe, Skaf é escolhido por indústria da bala para receber doação

Por Vitor Sorano - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Peemedebista é o único candidato no País a receber recursos do setor de armas até agora; ex-deputado defendeu indústria

Se em 2010 Paulo Skaf (PMDB) foi o único candidato ao governo de São Paulo a receber dinheiro da indústria de armas, neste ano ele é o único do Brasil – pelo menos até agora. O presidente licenciado da Fiesp tem como coordenador de campanha o ex-governador paulista e ex-deputado federal Luiz Antônio Fleury Filho, conhecido por sua postura favorável à comercialização de armas.

Skaf recebeu, neste ano, R$ 100 mil da Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), segundo a primeira parcial de prestação de contas da campanha dele ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O valor equivale a 2,3% do que o pemedebista arrecadou até agora.

Divulgação/PMDB
Paulo Skaf, candidato do PMDB ao governo de São Paulo, participa de reunião com lideranças femininas no bairro do Itaim, em São Paulo (20/08)


Uma das cinco fabricantes de armas regulares do País, segundo o Exército,  a CBC foi a única a fazer doações nesta primeira fase das eleições 2014. A Forjas Taurus, que também financia regularmente campanhas eleitorais, ainda não o fez neste ano, segundo dados do TSE.

Eleições 2014: Acompanhe a cobertura especial do iG

Fleury foi um dos candidatos que contou com doações da indústria de armas em 2006, quando concorreu à reeleição para o cargo de deputado federal, num momento em que se discutia a proibição da venda de armamentos. Foram R$ 291 mil, metade da Taurus e metade da CBC, o equivalente a 9% do total arrecadado pelo ex-governador, nesta que foi a sua última candidatura.

"São situações diferentes. O Skaf é presidente [licenciado] da Fiesp e a indústria da CBC fica em São Paulo. Não significa que ele tenha a mesma posição que eu tenho em relação ao Estatuto do Desarmamento", diz Fleury ao iG. Em 2006, ele coordenou a frente parlamentar contra a proibição da venda de armas no plebiscito sobre o tema.

Valor recebido em 2014 é o dobro de 2010

O valor recebido por Skaf neste ano é o dobro do de 2010. Naquele ano, quando o presidente licenciado pela Fiesp disputou o governo do Estado pela primeira vez, a CBC lhe doou R$ 51 mil (em valores atualizados). A quantia representou 0,24% do que o candidato recebeu naquele ano.

Skaf visita o Hospital Geral de Vila Penteado Doutor Jose Pengella, na região norte de São Paulo (20/9). Foto: William Volcov/Skaf 15Paulo Skaf faz campanha em Santos fala em fazer ligação terrestre entre a cidade e a vizinha Guarujá, no litoral de São Paulo (19/9). Foto: Divulgação/SkafSkaf visita projeto Fazenda Boa Esperança, em Guaratinguetá, no interior de São Paulo (16/9). Foto: Divulgação/SkafPaulo Skaf acompanha carreata em São Paulo (13/9). Foto: Ayrton Vignola/Skaf 15Carreata para Paulo Skaf nas ruas de São Paulo (13/9). Foto: Divulgação/SkafPaulo Skaf visita Conjunto Habitacional em Marília, no interior de São Paulo (10/9). Foto: Willian Volcov/Skaf 15Skaf discursa e faz campanha em encontro ro PMDB em Jales, no interior de São Paulo (30/8). Foto: Ayrton Vignola/ Skaf 15Skaf encontra com militantes do rival pelo governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, durante dia de campanha no Mercado da Lapa (22/8). Foto: Ayrton Vignola/Skaf 15Candidatos ao governo do Estados de São Paulo participam de debate na TV Band (23/8). Foto: Paulo Pinto/Fotos PúblicasPaulo Skaf toma café com eleitor no bairro Jardim Vera Cruz, em São Paulo (21/8). Foto: Ayrton Vignola/Skaf 15Paulo Skaf visita trechos das obras do monotrilho na cidade de São Paulo (7/8). Foto: Ayrton Vignola/Skaf OficialSkaf anda de trem durante caminhada de campanha pela zona leste de São Paulo (3/8). Foto: Facebook/Paulo SkafCandidato Paulo Skaf conversa com seu coordenador de campanha, Luiz Antônio Fleury Filho, ao lado do candidato ao Senado Gilberto Kassab (30/7). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGSelfie em grupo com Paulo 
Skafo em encontro com colegiado em Franca, interior de São Paulo (26/7). Foto: Instagram/skafoficialSkaf faz selfie com vendedoras durante visita a cidade de Batatais, no interior de São Paulo. Foto: Instagram/skafoficialPaulo Skaf, candidato ao governo de São Paulo pelo PMDB faz encontro com jovens programadores digitais (23/7). Foto: Facebook/Paulo SkafPaulo Skaf registra café da manhã em São Paulo (22/7). Foto: Facebook/Paulo SkafSkaf passeia por São Paulo e posta foto com eleitor (17/7). Foto: Instagram/skafoficialPaulo Skaf anda de metrô e faz campanha por mais transporte público em São Paulo (15/7). Foto: Facebook/Paulo SkafCandidato ainda posa para fotos com funcionários na estação Vila Madalena do metrô (15/7). Foto: Facebook/Paulo SkafSkaf encontra com motoqueiros no caminho para Pindamonhangaba e registra o momento nas redes sociais (12/7). Foto: Facebook/Paulo SkafGravação de entrevista com Paulo Skaf, candidato do governo de São Paulo pelo PMDB (10/7). Foto: Facebook/Paulo SkafPaulo Skaf visita o Festival do Japão, em São Paulo (5/7). Foto: Facebook/Paulo SkafDia do candidato do PMDB ao governo de São Paulo começa com ida ao dentista e uma selfie para registrar o momento (27/6). Foto: Facebook/Paulo SkafPaulo Skaf se encontra com jovens do PMDB (22/6). Foto: Facebook/Paulo SkafPaulo Skaf aproveita churrasco e compartilha foto em sua página no Instagram (21/6). Foto: Instagram/skafoficialPaulo Skaf assiste a jogo do Brasil na Copa do Mundo na companhia dos netos (17/6). Foto: Instagram/skafoficialConvenção do PMDB lança Paulo Skaf como candidato do partido ao governo de São Paulo (14/6). Foto: Twitter/ReproduçãoSkaf, presidente licenciado da Fiesp, terá como vice o criminalista José Roberto Batocchio (14/6). Foto: André Lucas Almeida/Futura PressPaulo Skaf durante convenção estadual do PMDB, em São Paulo (14/6). Foto: André Lucas Almeida/Futura PressSegundo assessoria, evento para lançar a candidatura de Skaf conta com 8.000 partidários (14/6). Foto: Facebook/Paulo Skaf

Além de Skaf, em 2010, a indústria de armas financiou apenas mais uma candidata a governo estadual: Yeda Crusis, que perdeu o comando do Rio Grande do Sul para Tarso Genro (PT), na ocasião. O Estado abriga tanto a CBC quanto a Taurus.

No total, as duas empresas doaram R$ 1,5 milhão a candidatos e partidos em 2010.

A segurança pública é um dos principais temas da campanha de Skaf nesta eleição. Na última terça-feira (19), em entrevista ao programa SPTV (Globo), ele classificou como "uma vergonha" a segurança no Estado.

Horário eleitoral: Alckmin inaugura obra inacabada e Skaf diz faltar tesão ao governador

O candidato tem flertado com a linha-dura. Um dos coordenadores importantes da sua campanha é Antônio Ferreira Pinto, ex-secretário de Administração Penitenciária e de Segurança Pública de Alckmin, que é favorável à redução da maioridade penal.

Advogado da campanha de Skaf, Hélio Silveira ressalta que a doação da CBC foi feita dentro da lei.

"É uma indústira, gera empregos, é legalizada, está cadastrada no próprio Exército", diz Silveira. "O armamento de fogo hoje, no Brasil, tem uma restrição muito grande que não vai ser alterada por vontade de qualquer governador que venha a ser eleito", completa.

Procuradas até o início da noite desta quarta-feira (20), a CBC e a Taurus não responderam a reportagem.

Contas: Arrecadação de Alckmin sobe e de Skaf cai em 2010


Leia tudo sobre: eleições 2014eleições 2014 sp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas