Candidatos homenageiam Campos na estreia da propaganda gratuita no rádio

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-governador de Pernambuco morreu em um acidente áereo em Santos e foi lembrado pelo PSB e por outras coligações

Agência Brasil

A propaganda eleitoral gratuita, inaugurada na manhã desta terça-feira (19) no rádio, foi marcada por homenagens de vários partidos e coligações ao ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, além das apresentações dos candidatos e suas plataformas de governo.

Acidente aéreo: Morre Eduardo Campos, candidato do PSB à Presidência

Por ordem de sorteio, a coligação Unidos pelo Brasil, liderada pelo PSB, partido de Campos, usou os 2 minutos e 3 segundos a que tem direito para homenagear o candidato morto na quarta-feira (13) em um acidente de avião.

“O Brasil perdeu Eduardo Campos, um presidente em quem os brasileiros queriam, mas não puderam votar. Eduardo se foi, mas seus valores e ideais ficaram. Dentre eles, a esperança para seguir em frente”, destacou o programa.

Vantagens e riscos: Veja as chances de Marina Silva em seis pontos

Apesar de ainda não apresentar oficialmente Marina Silva como sucessora de Eduardo Campos na chapa, o PSB usou uma fala do próprio ex-presidenciável para sinalizar que a escolha está certa. “Vamos precisar unir o Brasil e as boas pessoas do Brasil. O Brasil tem jeito, quem vai dar jeito ao Brasil é o povo brasileiro. Eu e Marina estamos prontos para fazer a mudança para o futuro do Brasil.”

Relembre na galeria de fotos o adeus a Eduardo Campos:

Um dos filhos de Eduardo Campos presta suas últimas homenagens ao pai, o presidenciável Eduardo Campos. Foto: Ricardo Moraes/ReutersMulher chora com um ramalhete de flores na mão durante sepultamento de Eduardo Campos. Foto: Ricardo Moraes/ReutersAdmiradores foram ao Cemitério de Santo Amaro dar um último adeus para Eduardo Campos. Foto: Ricardo Moraes/ReutersGritos de "Eduardo guerreiro do povo brasileiro" marcam o sepultamento de Campos no Cemitério de Santo Amaro, no Recife. Foto: Ricardo Moraes/ReutersFamiliares e colegas de partido de Eduardo Campos acompanham o caixão do candidato. Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilFamiliares e colegas de partido de Eduardo Campos acompanham o caixão do candidato. Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilFamiliares e colegas de partido de Eduardo Campos acompanham o caixão do candidato. Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilFamiliares e colegas de partido de Eduardo Campos acompanham o caixão do candidato. Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilFamiliares e colegas de partido de Eduardo Campos acompanham o caixão do candidato. Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilFamiliares e colegas de partido de Eduardo Campos acompanham o caixão do candidato. Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilFamiliares e colegas de partido de Eduardo Campos acompanham o caixão do candidato. Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilFamiliares e colegas de partido de Eduardo Campos acompanham o caixão do candidato. Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilFamiliares e colegas de partido de Eduardo Campos acompanham o caixão do candidato. Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilFamiliares e colegas de partido de Eduardo Campos acompanham o caixão do candidato. Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilCaixão com restos mortais de Eduardo Campos segue para o Cemitério de Santo Amaro em um carro aberto do Corpo de Bombeiros de Pernambuco. Foto: Paulo Whitaker/ReutersMilhares de admiradores de Eduardo Campos acompanham o cortejo fúnebre do caixão que leva seus restos mortais. Foto: REUTERS/Paulo WhitakerCentenas de pessoas aguardam a chegada do caixão de Eduardo Campos no Cemitério de Santo Amaro, em Recife, Pernambuco. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGAdmiradores de Eduardo Campos sobem em túmulos enquanto aguardam a chegada do caixão do ex-governador. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGAmigos e familiares participam do enterro do ex-deputado federal e assessor do candidato a presidência Eduardo Campos, Pedro Valadares, em Aracaju, SE, neste domingo (17). Foto: Jorge Henrique/Futura PressA viúva Cecília Ramos (c) é vista durante enterro do jornalista Carlos Percol, assessor de Eduardo Campos, no Cemitério de Santo Amaro, em Recife (PE), neste domingo (17). Foto: Pedro de Paula/Futura PressFaixa em frente a uma floricultura estampa uma das últimas frases de Eduardo Campos antes de morrer: "Nós não vamos desistir do Brasil". Foto: Pedro de Paula/Futura PressJoão Henrique, filho homem mais velho de Eduardo Campos, entoa grito de 'Eduardo Guerreiro' em homenagem ao pai (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersFamília de Eduardo Campos se emociona durante velório, missa e homenagens às vítimas do acidente aéreo que matou o político (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersJosé, de 9 anos, abraça caixão do pai Eduardo Campos (17/8). Foto: Paulo Whitaker/ReutersMarina Silva conforta Renata Campos, viúva de Eduardo Campos (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersLula se emociona ao lado da família de Eduardo Campos (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersCartaz em homenagem a Eduardo Campos é visto na multidão durante velório neste domingo (17/8). Foto: Aldo Carneiro/Futura PressHomem carrega cartaz no meio da multidão em homenagem a Eduardo Campos (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersPresidente Dilma Rousseff conforta filhos de Eduardo Campos durante velório na manhã deste domingo na sede do governo de Pernambuco (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersDilma Rousseff cumprimenta o presidenciável pelo PSDB Aécio Neves no velório de Eduardo Campos e vítimas do acidente aéreo (17/8). Foto: Paulo Whitaker/ReutersLula segura pequeno Miguel, filho mais novo de Eduardo Campos, durante velório do presidenciável no Recife (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersPresidente Dilma Roussef, Lula e outros políticos prestam homenagem a Eduardo Campos (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersDilma Rousseff cumprimenta Marina Silva, que era candidata à vice na chapa de Eduardo Campos (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersGovernador de São Paulo Geraldo Alckmin é mais um presente no velório (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersDilma Rousseff é vista no velório de Eduardo Campos (17/8). Foto: ReproduçãoJosé Serra também participa de missa campal e homenagens às vítimas do acidente aéreo em Santos (17/8). Foto: ReproduçãoMissa em homenagem ao ex governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e vítimas do acidente é celebrada no Palácio do Campo das Princesas (17/8). Foto: Fernando Frazão/ABrBalões brancos voam para o céu de Recife em homenagem às vitimas do acidente aéreo que matou Eduardo Campos e mais seis pessoas de sua campanha (17/8) . Foto: Augusto Cataldi/Fotos PúblicasFilho de Eduardo Campos é visto ao lado do caixão do pai. Família passou a madrugada no velório, saiu nesta manhã e voltou ao local por volta de 9h (17/8). Foto: Paulo Whitaker/ReutersMarina Silva, que acompanhava a família desde a chegada do corpo de Eduardo Campos, segue no velório do politico (17/8). Foto: Paulo Whitaker/ReutersEstrutura montada em frente ao Palácio do Campos das Princesas para despedidas e missa de corpo presente de Eduardo Campos e vítimas do acidente (17/8). Foto: Paulo Whitaker/ReutersComércio de flores nos arredores do cemitério de Santo Amaro, onde Eduardo Campos será enterrado no Recife (17/8). Foto: Chico Peixoto/Fotos PúblicasMulher chora durante velório do presidenciável Eduardo Campos no Palácio do Campo das Princesas na manhã deste domingo. Foto: Ricardo Moraes/ReutersGrupo vestido como o tradicional Maracatu espera na fila no velório de Eduardo Campos (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersA estimativa era que a fila de pessoas para homenagear Campos e mortos em acidente ultrapassava os 3 km (17/8). Foto: Paulo Whitaker/ReutersLongas filas se formam na sede do governo neste domingo para a despedida e últimas homenagens a Eduardo Campos (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersAbraço da família Campos no velório de Eduardo Campos na madrugada deste domingo, no Recife (17/8). Foto: Matheus Britto/Futura PressFilho de Eduardo Campos arruma bandeira sobre o caixão do pai. Marina Silva acompanha velório ao lado da família (17/8). Foto: ReutersFoto de Eduardo Campos é colocada em cima do caixão do presidenciável (17/8). Foto: Ricardo Moraes/ReutersFilhos de Eduardo Campos, ao lado da mãe Renata, carregam o caixão do pai na chegada ao Palácio do Campo das Princesas (17/8). Foto: Clélio Tomaz/Fotos PúblicasFilhos de ex-governador de Pernambuco, Pedro, João e Maria Eduarda, acenam para população (17/8). Foto: Leia JáChoro e emoção no cortejo com o corpo de Eduardo Campos do aeroporto até a sede do governo de Pernambuco (17/8). Foto: Clélio Tomaz/Fotos PúblicasFilhos de Campos acompanham corpo do pai no caminhão dos bombeiros e acenam para a população (17/8). Foto: ReutersPedro, filho de Eduardo Campos, cobre com a bandeira nacional o caixão com o corpo de seu pai (16/8). Foto: ReutersJoão e Pedro, filhos de Eduardo Campos, carregam caixão de pai no caminhão do Corpo de Bombeiros, em Recife (16/8). Foto: ReutersRenata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco, segura caçula Miguel (16/8). Foto: ReutersJoão e Pedro, filhos de Eduardo Campos, carregam caixão com corpo do pai que desembarcou em Recife (16/8). Foto: ReutersMulher com foto do Eduardo Campos em enfeite na cabeça é vista perto do palácio do governo de Pernambuco (16/8). Foto: Ricardo Moraes/Reuters - 16.8.14Partidários de Campos se reúnem junto ao palácio do governo de Pernambuco (16/8). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG - 16.8.14Ilustrações de Eduardo Campos são exibidas em ruas de Recife (16/8). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG - 16.8.14Palco montado junto ao palácio do governo de pernambuco, onde o corpo de Eduardo Campos é velado (16/8). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG - 16.8.14Multidão é vista junto à sede do governo de Pernambuco, onde o corpo ex-governador Eduardo Campos é velado (16/8). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG - 16.4.14Palco para autoridades junto ao palácio do governo de Pernambuco (16/8). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG - 16.8.14Cartazes e flores em homenagem a Eduardo Campos são colocados no Palácio do Campo das Princesas (16/8). Foto: Fernando Fazão/ Agência BrasilFila se forma junto ao palácio do governo de Pernambuco antes de velório de Campos (16/8). Foto: Ricardo Moraes/Reuters - 16.8.14Mensagens em homenagem a Eduardo Campos deixadas próximo ao palácio do governo de Pernambuco (16/8). Foto: Ricardo Moraes/Reuters - 16.8.14Coroas de flores são vistas na frente do Palácio das Princesas, no Recife (16/8). Foto: Fernando Fazão/ Agência BrasilHomem deposita flores em homenagem a Eduardo Campos em frente à sede do governo no Recife (16/8) . Foto: Fernando Fazão/ Agência BrasilCartaz em homenagem a Eduardo Campos é visto em rua do Recife (16/8). Foto: Fernando Fazão/ Agência BrasilHomem lê cartaz sobre Eduardo Campos nas ruas do Recife (16/8) . Foto: Fernando Fazão/ Agência BrasilMoradora do Recife segura cartaz em homenagem ao ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (16/8). Foto: Fernando Fazão/ Agência BrasilPessoas leem cartazes sobre Eduardo Campos nas ruas do Recife (16/8) . Foto: Fernando Fazão/ Agência BrasilOutdor em homenagem a Eduardo Campos, morto em acidente aéreo na quarta-feira, é colocado nas ruas de Recife (16/8). Foto: Fernando Fazão/ Agência BrasilCartaz em homenagem a Eduardo Campos é visto em rua do Recife (16/8). Foto: Fernando Fazão/ Agência Brasil

O tempo da Coligação Muda Brasil, encabeçada pelo PSDB, também começou com uma homenagem ao ex-governador de Pernambuco feita pelo presidenciável Aécio Neves. Além de lamentar a morte de Eduardo Campos e das outras seis vítimas, o tucano ressaltou a relação de amizade e respeito que tinha com o ex-governador de Pernambuco desde a década de 80, na campanha pelas Diretas.

PSDB: Campos se espelha em Aécio

“Colocar em prática as ideias e os ideais que tínhamos em comum será a melhor forma de celebrar a vida do grande governador, do pai, do marido do amigo, do brasileiro Eduardo Campos”, disse Aécio enfatizando que, mesmo em partidos diferentes, os dois tinham sonhos parecidos.

Além de apresentar Aécio como ex-deputado federal, ex-governador de Minas Gerais, senador e neto de Tancredo Neves, o tucano foi mostrado, nos 4 minutos e 35 segundos de programa, como uma alternativa de mudança.

“Hoje, o Brasil está pior que há quatro anos. O Brasil, que vinha bem, vinha avançando, perdeu o rumo, mas é importante que fique claro: o problema não é o Brasil, o problema é a forma como o Brasil está sendo governado”, destacou o presidenciável.

Com o maior tempo de programa (11 minutos e 24 segundos) a candidata a reeleição Dilma Rousseff, da coligação Com a Força do Povo, que reúne o PT e outros oito partidos, disse que pretende fazer “uma campanha de alto nível, positiva e com discussão de ideias”.

Mosaico: Aliados de Marina comemoram mesmo patamar de 2010

O programa propôs uma comparação do governo atual com anteriores e destacou a queda na taxa de desemprego e também os números de geração de empregos formais nos governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da atual Dilma.

Na área de moradia destacou a construção de 600 mil casas pelo Programa Minha Casa, Minha Vida e de obras importantes em parceria com o Estado de São Paulo e com as prefeituras como o Rodoanel e a linha 17 do Metrô da capital.

Na área de saúde, Dilma destacou que São Paulo foi Estado que mais recebeu profissionais do programa Mais Médicos (2.156). “Criamos a maior rede de proteção social do mundo, o Brasil sem Miséria, que vem acabando com a pobreza extrema. Estamos realizando o maior conjunto de obras de infraestrutura de nossa história recente e vamos fazer do pré-sal o nosso passaporte pro futuro: 75% dos royalties do petróleo serão investidos na educação e 25% na saúde”, lembrou a candidata.

No JN: Dilma diz que economia vai melhorar e evita falar sobre julgamento do mensalão

O ex-presidente Lula participou ativamente do programa, sugerindo aos eleitores comparações dos governos do PT com anteriores e pedindo votos para a companheira de partido. Lula também homenageou Eduardo Campos ao fala da dor pela perda do político, por quem disse sentir “afeto de pai e filho”. “Sua luta sempre foi e continuará sendo a nossa luta. E suas últimas palavras precisam ser incorporadas pelo provo brasileiro, nunca, jamais desistir do Brasil. É assim, querido Eduardo, que vamos guardar sua memória para sempre”, disse Lula.

Até o dia 2 de outubro, a propaganda eleitoral está dividida em dois blocos diários. Nas rádios, a transmissão vai das 7h às 7h25 e das 12h às 12h25. Na televisão, o primeiro bloco se inicia às 13h e vai até 13h25. À noite, a propaganda é retomada das 20h30 às 20h55. Terça-feira, quinta-feira e sábado estão destinados à propaganda de candidatos à Presidência e segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira às campanhas estaduais.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas