Adeptos da candidatura do PSB acreditam no potencial da ex-ministra para atrair os apoiadores das manifestações de 2013

Brasil Econômico

Aliado do PSB, o líder do PPS, Rubens Bueno (PR), comemorou a entrada da ex-ministra Marina Silva na disputa com o mesmo percentual que teve nas eleições presidenciais de 2010. Para ele, a fundadora da Rede mostra um potencial para se firmar como uma forte terceira via a fim de enfrentar petistas e tucanos. Bueno defendeu a escolha de um pernambucano ligado a Eduardo Campos - morto na semana passada - para vice. Segundo o deputado Miro Teixeira (Pros-RJ), próximo à Rede, a candidata tem mais potencial para atrair os apoiadores das manifestações de junho do ano passado do que os demais. “Ela pode se tornar o que o Lula foi no passado”, diz. Para o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), a transição da campanha de Campos para a de Marina será construída durante o processo.

Na avaliação de Delgado, um bom trânsito com o candidato tucano, Aécio Neves, pode ser um fator importante na escolha do vice, principalmente com a perspectiva de que a ex-ministra seja a adversária de Dilma Rousseff em um eventual segundo turno. Mineiro, Delgado é amigo de Aécio e é um dos cotados para a vaga. O favorito é o líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque (RS). Presidente do PSDB de Minas, o deputado Marcus Pestana acredita que, apesar de Marina aparecer melhor colocada do que Campos nas pesquisas de intenção de voto, a entrada dela pode favorecer Aécio. “Ele e Campos tinham características parecidas, ambos são da mesma geração, netos de políticos tradicionais (Tancredo Neves e Miguel Arraes, respectivamente) e foram governadores bem avaliados. Com Marina, é mais fácil cada um conquistar seu eleitorado”, analisa.

PT crê que o resultado é bom

Para o PT, o resultado da pesquisa do Datafolha é positivo porque mostra a estabilidade nos índices de Dilma e a melhoria da avaliação de seu governo. Petistas avaliam que o crescimento de Marina se deve ao clima de comoção e à realização da pesquisa logo após a morte de Campos.

Licitação da iluminação pública de SP sai neste mês

O conselho gestor do Programa Municipal de Parcerias Público-Privada da capital paulista autorizou a Secretaria Municipal de Serviços a fazer a concessão do sistema de iluminação pública da cidade para a iniciativa privada. A empresa vencedora da licitação deverá instalar lâmpadas de LED em toda a cidade, assim como criar um centro de controle operacional para acompanhamento remoto e em tempo real do sistema. Segundo o secretário da pasta, Simão Pedro, o edital, que está sendo feito em conjunto com a SP Negócios (empresa municipal especializada em fomento), deve ser publicado até o final do mês. A rede de iluminação pública da cidade é considerada a maior da América Latina.

Partido cogitou punir brigão

O vereador de Francisco Morato e candidato a deputado estadual Raimundo César Faustino, o Capá (PT), preocupa o PT. Integrante da Gaviões da Fiel, agora ele é acusado de participar do espancamento de um torcedor rival. A delegada do caso afirmou que vai pedir sua prisão preventiva por tentativa de homicídio. Um dos assessores dele já está preso. Quatro testemunhas incriminam Capá. A executiva estadual do PT discutiu a possibilidade de suspendê-lo imediatamente.

Candidato já esteve envolvido em outros casos de agressão

No ano passado, Capá foi flagrado quando chutava um policial em uma briga entre torcedores do Corinthians e do Vasco em Brasília. Naquele momento, o partido aceitou as justificativas do vereador e decidiu não puni-lo. Ele foi demitido “a bem do serviço público” da Guarda Municipal de Campinas e também já foi acusado de envolvimento em outros casos de violência entre torcedores.

“O impacto que o Brasil viveu tem de ser decantado para que a gente tenha, na evolução do quadro, uma avaliação mais profunda” – Walter Feldman, porta-voz da Rede Sustentabilidade

*Com Leonardo Fuhrmann

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.