Partido ainda discute quem assumirá o lugar de Eduardo Campos na corrida pela Presidência nas eleições de outubro

Agência Brasil

O presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, disse há pouco, em reunião do partido no Recife, que qualquer decisão da sigla sobre o nome que substituirá Eduardo Campos na disputa à Presidência passará por Renata Campos, viúva do ex-presidenciável, e por Mariana Silva, vice na chapa Unidos pelo Brasil.

Pesquisa Datafolha: Marina empata com Aécio no 1º e com Dilma no 2º turno

"Vamos conversar com os cinco partido e depois vamos conversar com a Marina e com a Renata para tomarmos nossa decisão", disse Amaral.

O presidente do PSB de Pernambuco, Celino Guedes, destacou que Eduardo Campos morreu fazendo política. “Então, com certeza, ele iria querer que continuássemos a campanha”, disse ao responder se é cedo para tal discussão.

Leia mais: PSB anuncia consultas internas para substituir Campos

Marina Silva é apontada como substituta de Campos. Veja fotos da ex-ministra


Sobre especulações de que Renata pudesse integrar a chapa como vice de Marina, Amaral disse que a viúva de Campos "pode ser o que ela quiser", mas que o partido aguarda uma posição dela. "Não posso dizer nada antes de conversar com ela e respeitá-la. É uma mulher que vocês estão vendo, que se supera com as dificuldades". Renata Campos é filiada ao PSB de Pernambuco.

Um dia após o enterro do ex-governador de Pernambuco, o PSB no estado decidiu pormover uma reunião hoje, que havia sido convocada por Eduardo. Segundo Amaral, a própria viúva pediu a manutenção do encontro para tratar de questões estaduais, como forma de mostrar unidade em torno do nome de Paulo Câmara na disputa pelo Palácio do Campo das Princesas.

O presidente do PSB voltou a dizer que o substituto de Campos deve ter o compromisso com os ideais dele e com o combate às desigualdades sociais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.