Documento, que tratará de acordos políticos, deverá estar pronto até quarta-feira (20), quando partido oficializará chapa

Para ser a nova candidata do PSB à Presidência da República no lugar de Eduardo Campos , Marina Silva terá de assinar um documento no qual constarão os acordos políticos firmados pelo partido – um dos principais pontos de atrito entre a ex-senadora e os socialistas.

Presidente do PSB:  Viúva de Eduardo Campos pode ser candidata a vice

Marina Silva em foto de julho
ALAN SAMPAIO/iG BRASILIA
Marina Silva em foto de julho

A carta está sendo elaborada por uma comissão do PSB e deve estar pronta até quarta-feira (20), quando o partido fará uma reunião da Executiva Nacional para oficializar a nova chapa presidencial, segundo uma fonte ouvida pelo iG.  Em nota divulgada pelo próprio PSB no domingo (17), o partido confirma as consultas internas e a reunião do dia 20 de agosto .

Um dos objetivos é deixar claro para a ex-senadora que ela não será uma candidata do PSB ou da Rede – que desembarcará do partido assim que conseguir seu próprio registro –, mas de uma coligação, formada por seis partidos, o que pressupõe compromissos.

Leia também:  Marina libera consulta por candidatura e abre guerra interna pela vice

Marina, por exemplo, criticou abertamente a entrada do PSB na chapa do PSDB na disputa pelo governo de São Paulo – em que o deputado Márcio França (PSB) é candidato a vice do tucano Geraldo Alckmin .

Internamente, o documento é tratado menos como uma carta de compromisso e mais de orientação. Algumas coisas, justifica a fonte do PSB, eram de conhecimento exclusivo do núcleo duro da campanha – composto por Campos e mais duas pessoas – e precisam ser passadas à ex-senadora.

Registro junto ao TSE pode ser feita em 24 horas

A formalização da nova chapa presidencial será feita na próxima quarta-feira (20), em reunião da Executiva Nacional da PSB em Brasília. A indicação de Marina já é dada como certa, mas o nome do vice continua em aberto. 

Nomes considerados para compor a chapa com Marina Silva:

O PSB não abre mão de escolher alguém do partido e, nesse sentido, têm sido cogitados os nomes da viúva de Campos, Renata Campos , e do deputado pelo Rio Grande do Sul, Beto Albuquerque.

Após a definição dos nomes, Marina terá de renunciar à candidatura de vice-presidente. Em seguida, o PSB precisa apresentar uma ata assinada pelos líderes com os nomes dos novos candidatos. Só depois é que a nova candidatura será formalizada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.