Falha na ignição ocorreu em Londrina (PR) com a vice Marina Silva a bordo. Jato particular estava com documentação em dia

O mesmo jato particular que caiu na quarta-feira (13), em Santos, e matou o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos e seis membros de sua equipe apresentou problema ténicos em junho deste ano. Segundo a reportagem do SBT, a aeronave 560 XL, fabricada em 2010 nos Estados Unidos, registou falha na ignição antes de decolar em Londrina, no Paraná. Assista ao vídeo com o histórico da aeronave:

Na data da ocorrência, a vice à Presidência Marina Silva estava a bordo. Apesar do último registro, a aeronave estava com a documentação em dia e foi inspecionada em fevereiro.

Acidente aéreo: Morre Eduardo Campos, candidato do PSB à Presidência

Assista: Vídeo mostra momento exato da explosão do avião de Eduardo Campos

Segundo relatórios da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), os certificados de Inspeção Anual de Manuteção e de Aeronavigabilidade estão com validade para 2015 e 2017, respectivamente.

Luxuoso, o bimotor tinha capacidade para 12 pessoas e um sistema anticolisão. No Brasil essa é a primeira vez que um candidato a presidência morre durante a campanha eleitoral. 

Veja imagens do acidente que matou Eduardo Campos:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.