Visivelmente abatida e abalada, candidata a vice do PSB diz esperar que espírito de alegria de presidenciável console País

Visivelmente abatida e abalada, Marina Silva, candidata à vice-presidência pela chapa do PSB, caracterizou como "tragédia que nos impõe luto e tristeza" a morte nesta quarta-feira (13) do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos em um acidente aéreo em Santos .

Acidente aéreo: Morre Eduardo Campos, candidato do PSB à Presidência

Candidata à vice Marina Silva lamenta a morte do ex-governador Eduardo Campos nesta terça-feira (13)
Reprodução
Candidata à vice Marina Silva lamenta a morte do ex-governador Eduardo Campos nesta terça-feira (13)

Leia também: Gravação tira Marina Silva de voo de Campos

Em um pronunciamento na cidade do litoral de São Paulo, Marina indicou, porém, que não quer enfatizar a tristeza quando se lembrar de seu companheiro de campanha eleitoral. "A imagem que quero guardar dele é a despedida de ontem: cheio de alegria, sonhos, compromissos. Espero que seja com esse espírito que ele possa consolar sua família e a todos nós", disse. Os dois estiveram juntos pela última vez juntos na noite de terça-feira (12), após a entrevista do candidato para o Jornal Nacional, da TV Globo.

Dilma sobre morte de Campos: 'Ele estava seguindo os passos do avô'

Ao lado do coordenador da campanha do PSB, Carlos Siqueira, e de Márcio França, presidente do PSB paulista que é vice na chapa do governador Geraldo Alckmin (PSDB), Marina afirmou que, nos dez meses de convivência na corrida eleitoral, aprendeu a respeitar, admirar e a confiar nos ideais de Campos. "Começamos a acreditar juntos na esperança de um mundo mais justo."

Repercussão: Políticos lamentam a morte de Eduardo Campos

A candidata a vice também pediu que Deus sustente "a Renata, o Zé, o João, Duda, Pedro, o pequeno Miguel", em referência à mulher de Campos, que é auditora do Tribunal de Contas de Pernambuco, e aos filhos do casal: José Henrique, João Henrique, Maria Eduarda, Pedro Henrique e Miguel, que nasceu em janeiro.

Veja imagens da trajetória de Campos:

Além de Campos, também morreram no acidente o assessor Carlos Augusto Leal Filho, o chefe de gabinete no governo de Pernambuco, Pedro Valladares Neto, o cinegrafista Marcelo Lira, o fotógrafo Alexandre Severo, o piloto Marcos Martins e o copiloto Geraldo M. P. da Cunha. Segundo o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grelha, o inquérito sobre o acidente deve levar 30 dias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.