Para fazer bonito, presidenciáveis fazem de implante capilar a cirurgia plástica

Por Luciana Lima - iG. Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Botox, tonalização dos cabelos e clareamento dos dentes estão entre os tratamentos mais procurados pelos candidatos

Em tempos de campanha presidencial, os candidatos se esmeram para parecer mais jovens e bonitos. A sedução exigida em uma campanha não se restringe aos discursos e promessas. É necessário investimento na aparência. Na busca pelos votos, vale cirurgia plástica, injeções de botox, preenchimentos faciais, tintura no cabelo, implante de fios, correção e clareamento dos dentes.

Saiba mais: Dilma capitaliza com insatisfação e cresce com aumento de brancos e nulos

As artimanhas estéticas são assumidas pelos candidatos em alguns momentos, mas na maioria das ocasiões, a ordem é negar até o fim. Por isso mesmo, alguns profissionais que cuidam da beleza dos presidenciáveis foram contratados não só pela competência, mas também pela discrição. Dependendo do segredo revelado, a reação é de pânico.

Compare o antes e o depois dos candidatos:

Dilma Rousseff antes. Foto: Agencia Brasil/reproduçãoDilma Rousseff depois. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaAécio Neves antes. Foto: Agência BrasilAécio Neves depois. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaEduardo Campos antes. Foto: Agencia Brasil/reproduçãoEduardo Campos depois. Foto: Alan Sampaio / iG Brasília

Candidato socialista, Eduardo Campos, por exemplo, já negou várias vezes que teria feito implante capilar e nega que esteja usando tonalizante no cabelo atualmente. O tucano Aécio Neves, por sua vez, alega que a cirurgia que fez nos dentes de reconstituição da gengiva tinha motivação clínica, não estética.

No caso da presidente Dilma Rousseff, a corrida pela beleza resultou numa transformação completa desde que era ministra de Minas e Energia do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Antes mesmo de se lançar na campanha, em 2009, Dilma optou pela intervenção mais clássica da cirurgia plástica: o lifting. O procedimento, que costuma durar entre uma hora e meia e duas horas, mexe principalmente em todo contorno do rosto, levantando a musculatura e dando um ar mais descansado e jovem ao rosto.

A cirurgia de Dilma ocorreu há cinco anos e foi a única feita pela presidente até hoje. Desde então, ela tem optado pela aplicação eventual de botox em alguns sulcos de expressão e pelo uso de tratamentos de maior qualidade que complementam o procedimento.

A cirurgia foi realizada por Renato Vieira, de Porto Alegre. O cirurgião avalia que não há necessidade de uma nova intervenção. “Qualquer novo procedimento ficaria muito artificial. Recomendo a ela só uma boa dermatologista e tenho visto que ela está em muito boas mãos”, disse o médico que, mesmo à distância, acompanha a evolução na aparência da presidente.

Ichiro Guerra/ Dilma 13
Dilma Rousseff adotou fios mais claros e abandonou o batom vermelho na campanha

“Percebo que ela, de vez em quando, usa botox ou outro tipo de preenchimento, mas de forma bem sutil”, comenta. Se acordo com Vieira, esse foi o melhor caminho para melhorar a aparência de Dilma. “Como o efeito botox dura cerca de 3 a quatro meses, o ideal é fazer duas ou três vezes por ano”, avalia.

Para a campanha deste ano a presidente Dilma já aparece com os cabelos bem mais claros que na campanha anterior. Dilma sempre resistiu à ideia de ficar loira, mas acabou se rendendo a uma mecha aqui, outra ali, colocada pelo seu cabeleireiro, Celso Kamura, que corta o cabelo da presidente pelo menos uma vez por mês. “A cada corte eu acrescentava uma mecha. Aí ela acabou gostando”, conta o cabelereiro ao iG.

Sobre as campanhas: Os arrecadadores das campanhas presidenciais

O corte é o mesmo, inspirado, de acordo com Kamura, na estilista venezuelana Carolina Herrera. “É um corte prático e que impõe respeito”, explica o profissional. A vantagem é que por manter o volume no alto da cabeça, o corte passa a impressão de alongar a silhueta do rosto.

Além dos cortes e coloração mensais, Dilma tem ainda uma cabeleireira que a auxilia em Brasília, para arrumar o cabelo em ocasiões especiais. Ela também aprendeu a arrumar os fios sozinha e, cotidianamente, se utiliza de alguns truques para manter o topete sempre em pé. Um deles é colocar bobs de velcro na franja enrolando o cabelo para trás.

Dilma também segue algumas dicas de maquiagem e se disciplinou para usar um primer a prova d´água que garante a fixação da maquiagem durante todo dia. Além disso, a presidente recorre a uma base em spray da Dior, bem fluida, mas que tem definição para imagem de alta definição.

Quanto às sobrancelhas, Dilma precisou suavizá-las. Muito arqueado, o desenho passava uma imagem arrogante. Nos olhos, Dilma usa sempre o lápis preto e sombras, preferencialmente, marrom. Ela é avessa aos cílios postiços, mas para momentos que exigem uma produção mais caprichada, ela aceita a aplicação do produto em tufos, dois ou três, em cada canto externo dos olhos. Para disfarçar olheiras, a presidente também investiu em um corretivo da marca alemã Kryolan, uma das mais caras do mercado.

A presidente, que sempre gostou de batom vermelho ao estilo PT, se disciplinou para usar tons mais fechados, terrosos ou puxados para o vinho. Agora, com cabelo mais claro, Dilma tem optado por tons mais rosados.

Olhos, sorriso e cabelo

Sem o arsenal feminino de Dilma, o tucano Aécio Neves também não descuida do visual. Antes da campanha, ele fez aplicações de botox na testa, suavizando a marca entre as sobrancelhas, e, em janeiro deste ano, fez uma cirurgia nas pálpebras, que retirou as bolsas embaixo dos olhos, que davam um ar de cansado ao tucano.

Igo Estrela/ObritoNews
Aécio Neves sorri para selfie durante caminhada de campanha em Manaus

Recentemente, Aécio também se submeteu a um clareamento dentário e, no ano passado, o tucano já havia passado pela uma cirurgia odontológica que corrigiu a gengiva e nivelou os dentes.

Os cuidados com os cabelos também mereceram uma atenção especial. Há cerca de cinco anos, Aécio já havia feito um transplante de fios para cobrir o alto da cabeça. A cirurgia foi feita no interior de São Paulo e, de acordo com seu cabelereiro em Belo Horizonte, Thidy Lopes, teve um efeito discreto.

“Eu diria que foi uma pequena reparação”, comentou Thidy, que tem Aécio entre seus clientes há 25 anos. Thidy disse que o senador não opina muito em relação ao corte e não chegou a fazer um pedido especial. No entanto, para esta campanha, a sugestão dada pelo cabeleireiro e acatada pelo candidato é de um cabelo mais curto, que dá a Aécio uma aparência sóbria.

“Eu me preocupo com o tipo de profissão que a pessoa desenvolve. Dependendo da atividade, um cabelo maior pode até combinar mais com o rosto, mas para a campanha acho que o cabelo mais curto era mais apropriado”, disse Thidy, em entrevista ao iG.

Com o cabelo mais curto, a manutenção do corte precisa ser mais assídua. Thidy recomendou a Aécio cortar o cabelo a cada 25 dias. Para conciliar com a campanha, o próprio cabeleireiro indicou profissionais em outros estados, como Pernambuco e São Paulo, que possam atender o candidato em suas viagens.

O tucano optou por manter as sobrancelhas naturais, somente com aparos, e deixar os poucos fios brancos que tem nas têmporas à mostra. “O máximo que ele pode usar é um shampoo tonalizante que dá mais brilho e assenta melhor o cabelo”, revelou Thidy.

Aécio tem ainda optado por usar camisas e calças mais despojadas em suas agendas. Nunca terno, a não ser que a ocasião peça formalidade, como ocorreu nas sabatinas e nas entrevistas de TV. Entre os tons preferidos pelo tucano estão as cores claras e sóbrias que variam entre o azul e o cinza. A intenção é passar proximidade com o eleitorado.

Look despojado

Reprodução/Facebook oficial PSB
Eduardo Campos usa sua tradicional camisa branca durante a campanha para Presidente

Já o candidato socialista Eduardo Campos tem levado o despojamento ainda mais a sério. Campos está sempre com calça jeans e camisa branca. O traje é considerado uma marca pelo próprio candidato. Segundo pessoas próximas, em campanhas anteriores em Pernambuco, Campos se apresentava como candidato da “paz política” e a escolha da roupa tinha esse significado.

Para um jantar à noite ou qualquer outra agenda que exija certa formalidade, Campos acrescenta ao visual somente um terno azul marinho, quase preto. De acordo com um interlocutor próximo, a cor preferida por Campos nesse caso se chama “azul noite”, uma cor que só dá para ver que é azul, se colocada próxima do preto.

A principal preocupação de Campos é com o peso. Antes do início da campanha ele costumava correr 10 quilômetros, pelo menos quatro vezes por semana. Campos utilizava uma esteira instalada em sua casa, no Recife, ou pedalava na rua. Com a correria da campanha, o exercício físico acabou ficando de lado e Campos tem ganhado peso.

Em raros momentos livres, em São Paulo e em Brasília, o socialista chegou a correr no Parque do Ibirapuera e no Parque da Cidade, mas não conseguiu transformar a atividade física em regular.

Embora a mudança seja sutil, Campos, que está naturalmente com os cabelos brancos, tem aparecido na campanha com os cabelos mais escuros. Os fios brancos, no entanto, só aparecem nas têmporas.

A campanha nega que ele esteja usando tonalizante e nega também que ele tenha feito implante de cabelo. Segundo integrantes da campanha e pessoas próximas ao socialista, ele chegou a se consultar com o cirurgião pernambucano Fernando Basto, especialista em implante. O objetivo era implantar fios na parte de cima da cabeça. Entretanto, o procedimento não chegou a ser realizado.

Nesta campanha, o candidato socialista tem cuidado melhor da pele e utilizado filtro solar, sem cor, em suas agendas externas. A maquiagem, de acordo com assessores, só é utilizada durante as gravações.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas