Genoino começa a cumprir pena em casa

Por iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-presidente do PT, que teve pena diminuída por cursar direito por correspondência, está proibido de beber e ir a prostíbulos

O ex-presidente do PT José Genoino deixou nesta terça-feira (12) o presídio da Papuda, em Brasília, para cumprir o restante de sua condenação de 4 anos e 8 meses em casa. A progressão de regime semiaberto para aberto foi determinada na semana passada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso.

Dia 7: Ministro do STF autoriza Genoino a cumprir pena em regime aberto

Agência Câmara
Deputado José Genoino participa de reunião da CCJ da Câmara em 2009

Genoino deixou a carceragem da Papuda por volta das 9h30 e seguiu para a Vara de Execuções Penais (Vepe) do Distrito Federal, onde teve uma audiência sobre as condições estabelecidas para o cumprimento do regime aberto.

A partir de agora, o ex-presidente do PT dormirá em uma residência fixa no Distrito Federal em endereço não divulgado. Pelas condições do regime aberto, Genoino somente poderá sair de casa a partir das 5h sendo obrigatório seu retorno até as 21h. Ele também está proibido de manter contato com outros condenados pela Justiça, inclusive aqueles sentenciados no julgamento do mensalão, como o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu ou o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares. Dirceu e Delúbio ainda cumprem o regime semiaberto, mas estão trabalhando durante o dia.

Genoino está proibido de ingerir bebida alcoólica e de frequentar prostíbulos. Existe também uma recomendação para que o ex-presidente do PT não conceda entrevistas à imprensa, como já ocorre com outros réus.

Condenado a 4 anos e 8 meses pelo crime de corrupção ativa, Genoino cumpriria um sexto da pena apenas no final de agosto, mas graças um curso de Direito por correspondência, ele conseguiu descontar 34 dias de pena e teve sua progressão de pena autorizada na semana passada.

O ex-tesoureiro do extinto PL Jacinto Lamas também progrediu nesta terça-feira do regime semiaberto para o aberto. Condenado a 5 anos de prisão, Lamas teve 90 dias descontados de seu tempo de prisão e conseguiu progredir de regime nesta terça.

Leia tudo sobre: ptmensalãojosé genoino

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas