Campos dribla ataque de JN e ataca Dilma citando goleada de 7 a 1

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Bem treinado, candidato falou sobre denúncia de nepotismo e teve tempo de se apresentar como oposição ao PT e PSDB

O candidato do PSB à presidência, Eduardo Campos, aproveitou como pôde os 15 minutos oferecidos a ele nesta terça-feira (12) pelo Jornal Nacional, telejornal da Rede Globo que costuma ter a média diária de 36 milhões de telespectadores. Bem treinado e demonstrando tranquilidade, o ex-governador de Pernambuco se esquivou sobre denúncias de nepotismo, driblou a contradição de fazer oposição à ex-aliada presidente Dilma Rousseff e, invocando a vice Marina Silva, teve tempo de se apresentar como oposição ao ironizar e comparar o desenvolvimento do Brasil, “equivalente à goleada da Alemanha sobre o Brasil por 7 a 1”, segundo ele. 

A apresentadora Patrícia Poeta começou a entrevista perguntando a Campos se ele estava disposto a fazer cortes de gastos para aquecer a economia em seu mandato. O candidato saiu pela tangente, mas a apresentadora voltou ao tema. Ele então preferiu jogar a questão para o espectador, dizendo que a inflação estava alta e que o salario “não dá para o mês inteiro”.

Reprodução
O presidenciável Eduardo Campos (PSB)foi entrevistado nesta terça-feira (12) pelos apresentadores do Jornal Nacional (Globo)


À vontade, Campos disse que 2015 será um ano melhor economicamente que 2014, “o mais difícil”. “O Brasil perdeu de 7 a 1 na Copa e está perdendo fora [de campo]. É 7% de inflação e 1% de crescimento. Vamos terminar melhor do que 2014", apostou o candidato do PSB.  

Em tom de “chega de jogar conversa fora”,  o apresentador Willian Bonner foi incisivo ao perguntar sobre a intensa campanha que Campos teria feito em 2011 no Congresso Nacional para eleger a mãe Ana Arraes para a vaga que ela ocupa hoje no  Tribunal de Contas da União (TCU), responsável por fiscalizar as contas do Governo Federal, que o candidato do PSB deseja comandar a partir do ano que vem.  

Também no JN: Aécio admite “realinhamento de preços” da gasolina e energia

Como puderam perceber os telespectadores do JN, Campos ficou visivelmente constrangido com a questão e levou alguns segundos pensando em como respondê-la. Aliás, este foi o único momento da entrevista em que ele pareceu estar desconfortável.   Rapidamente recuperado, o ex-governador negou qualquer interferência e respondeu a pergunta exaltando o currículo da mãe, dizendo que ela é funcionária pública concursada e foi eleita deputada duas vezes.

“Disputou uma eleição, ganhou no voto e foi ser ministra”, argumentou Campos, se colocando na posição de mero expectador da eleição de Ana Arraes para o TCU. “Eu apenas torci para que ela ganhasse", minimizou o candidato. 

Buscando reverter o constrangimento, Campos aproveitou para sugerir que o Brasil faça “um comitê de busca” para discutir as vagas vitalícias de magistrados. “O Brasil precisa fazer uma reforma para oxigenar os tribunais e que esse processo seja impessoal.”

Contradições no passado e na aliança 

Campos também foi questionado a respeito da contradição que a sua aliança com Marina vive na questão ambiental. Partido do ex-governador, o PSB tem fortes laços com os ruralistas. Sua vice, no entanto, é fortemente crítica ao agronegócio, setor que Bonner apontou como responsável por sustentar a economia do Brasil nos últimos anos.

Mas Campos conseguiu se esquivar, inclusive defendendo sua candidata à vice. “Nossa bancada rachou, mas eu defendi a posição representada por Marina", argumentou Campos, falando da aprovação do Código Florestal no Congresso.  

Eduardo Campos morreu nesta quarta-feira (13/8) em um acidente de avião em Santos, no litoral de São Paulo . Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaCampos estava com mais seis pessoas na aeronave que vinha do Rio de Janeiro e seguia para o Guarujá. Todos morreram na queda. Foto: Futura PressUm dos últimos compromissos de Eduardo Campos foi a entrevista ao Jornal Nacional na noite de terça-feira (12/08). Foto: Globo/João CottaEduardo Campos concorria à Presidência com Marina Silva como vice em sua chapa. Foto: Alan Sampaio /iG BrasíliaEduardo Campos deixa um filho pequeno ainda bebê. A criança nasceu em janeiro deste ano. Foto: Facebook/Eduardo CamposEduardo postou na sua página no Facebook uma foto no nascimento de seu filho. Miguel nasceu com síndrome de down (29/1/2014). Foto: Facebook/Eduardo CamposEduardo Campos deixa cinco filhos. Foto: ReproduçãoNa Copa do Mundo, ele compartilhou nas redes sociais imagens ao lado da família vendo jogos do Brasil. Foto: Reprodução/Facebook oficial PSBEduardo Campos postou uma imagem ao lado do pai, Maximiano Campos, no dia dos pais. Foto: Facebook/Eduardo CamposEduardo Campos concorria à Presidência na chapa com Marina Silva como vice. Eles visitaram Dom Orani Tempesta, no Rio (12/8). Foto: PSBRelembre a campanha de Campos. Ao lado de Marina, candidato visita conjunto habitacional para idosos na Paraíba (9/8). Foto: DIVULGAção/PSBEduardo Campos participa de reunião com produtores rurais na cidade de Arapiraca, em Alagoas (8/8). Foto: PSB/DivulgaçãoEduardo Campos comemora aniversário com o número do partido no lugar da idade durante reunião com produtores rurais em Arapiraca (AL) (8/8). Foto: PSBEduardo Campos participa de encontro com a juventude no Pelourinho, em Salvador (7/8). Foto: PSBEduardo Campos e Marina Silva na Fundação Abrinq (7/8). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGCandidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, participa de encontro da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (6/8). Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaPresidenciável Eduardo Campos  participa de comício na cidade de Timbauba, no Pernambuco (3/8). Foto: PSB/DivulgaçãoEduardo Campos bebe chimarrão depois de apresentar propostas durante o 34º Congresso de Municípios, em Porto Alegre (31/7). Foto: Jefferson Bernardes/ Agência PreviewCandidata à vice-presidência do PSB, Marina Silva, é vista durante sabatina do seu companheiro de chapa, Eduardo Campos, na CNI (30/7). Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIACandidato à Presidente Eduardo Campos durante sabatina promovida pela CNI, em Brasília. Foto: José Paulo Lacerda/ CNICandidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, e sua vice, Marina Silva, chegam a auditório para encontro na CNI, em Brasília (30/7). Foto: José Paulo Lacerda/ CNIEduardo Campos e Marina Silva inauguram casa Campos-Marina em Osasco. Local será comitê eleitoral da campanha da dupla (28/7). Foto: Facebook/Eduardo CamposMarina Silva e Eduardo Campos durante coletivo para o lançamento da candidatura de dez aliados de Marina ao Legislativo (25/7). Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGEduardo Campos visita fábrica de doces em Marília, no interior de São Paulo (22/7). Foto: Divulgação/Site OficialCandidato à Presidência conversa com a população durante inauguração do comitê central Campos-Marina em São Paulo (21/7). Foto: Reprodução/Facebook Eduardo CamposEduardo Campos, candidato à Presidência pelo PSB, faz discurso na inauguração do comitê central da sua campanha, em São Paulo (21/7). Foto: Reprodução/Facebook oficial PSBEduardo Campos conta com a companhia de Marina Silva, candidata a vice na chapa presidencial (21/7). Foto: Reprodução/Facebook oficial PSBLuiza Erundina faz discurso inflamado e rouba os holofotes em inauguração do Comitê Central da campanha Campos/Marina (21/7) . Foto: DivulgaçãoEduardo Campos e Marina Silva visitam a Exposição Agropecuária do Crato, município do Ceará (20/7). Foto: Divulgação/Site OficialCandidato do PSB à Presidência faz caminhada por Taboão da Serra, Itapecerica e Embu das Artes, em São Paulo (18/7). Foto: Divulgação/Site OficialEm entrevista, Eduardo Campos afirma que enviará um projeto de reforma tributária ao Congresso no 1º semestre de 2015 (17/7). Foto: Reprodução/Facebook oficial PSBCandidato do PSB visita a cidade de Afogados da Ingazeira, em Pernambuco (13/7). Foto: Reprodução/Facebook Eduardo CamposEduardo Campos caminha pelas ruas de São Luís, no Maranhão (10/7). Foto: Reprodução/Facebook oficial PSBEduardo e Marina visitam o comércio da cidade de Águas Lindas, em Goiás (7/7). Foto: Reprodução/Facebook oficial PSBCandidatos a Presidente e vice também passam pela comunidade Sol Nascente, no Distrito Federal (6/7). Foto: Reprodução/Facebook oficial PSBEduardo e Marina vestem kimono nas cores para acompanhar a 17ª edição do Festival do Japão, em São Paulo (5/7). Foto: Reprodução/Facebook Eduardo CamposEduardo Campo e Marina Silva registram candidatura presidencial pelo partido PSB (3/7). Foto: Reprodução/Facebook oficial PSBPSB oficializa candidatura de Eduardo Campos e Marina Silva à presidência e vice-presidência da República em Brasília (28/6). Foto: Humberto PraderaEduardo Campos e Marina Silva discursam na convenção nacional do PSB que oficializou a candidatura da dupla (28/6). Foto: Reprodução/Facebook oficial PSB

Na reta final da entrevista, os apresentadores questionaram se decisão de Campos de abandonar o governo Dilma no terceiro ano de mandato era movida apenas pela “ambição” de ser presidente. Antigo membro da base aliada da presidente  e ex-ministro do governo anterior, do também petista Lula, Campos justificou sua saída dizendo que a fissura havia se iniciado nas eleições municipais de 2012.

O candidato aproveitou então uma nova oportunidade para se colocar em oposição também ao PSDB, de Aécio Neves. “Quantas pessoas assistindo estão decepcionadas? Eu e Marina entendemos que PT e PSDB já ficaram tempo demais e é preciso um novo caminho.”

Leia tudo sobre: Eleições 2014Eduardo Campos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas