Senado instala sindicância para apurar denúncia de fraude na CPI da Petrobras

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo a Veja, diretores da Petrobras souberam de antemão quais perguntas seriam feitas durante seu depoimento na CPI

Agência Brasil

Agência Brasil
Presidente da Petrobras, Graça Foster, depõe em CPI da Petrobras em audiência em maio

O Senado instalou a comissão de sindicância que vai apurar as denúncias publicadas na última edição da revista Veja sobre manipulação dos depoimentos prestados à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras.

Terça: Renan determina comissão para apurar denúncias contra CPI da Petrobras

Segunda: PSDB pede investigação de senadores petistas por atuação na CPI da Petrobras

Segundo a revista, a presidenta da estatal, Graça Foster, o ex-presidente José Sergio Gabrielli e o ex-diretor da Área Internacional Nestor Cerveró "tiveram acesso antecipado" e foram treinados para responder perguntas dos senadores que investigam a existência de irregularidades na Petrobras.

Segundo a Diretoria-Geral do Senado, o consultor legislativo especialista em direito penal Tiago Ivo Odon, o analista da Secretaria-Geral da Mesa e especialista em direito eleitoral Marcelo Inácio de Aranha Menezes e o analista da primeira-secretaria, especialista em direito legislativo e processual, José Mendonça de Araújo Filho, todos servidores de carreira da Casa, serão os responsáveis pelos trabalhos.

Dia 29: Cardozo nega que governo tenha pressionado TCU em processo de Pasadena

A comissão, que foi instalada na quarta-feira (6) e deve trabalhar em sigilo, só tem poder para investigar a responsabilidade dos servidores do Senado. De acordo com a Lei 8.112/90, o prazo para conclusão da sindicância não excederá 30 dias, mas pode ser prorrogado por igual período, a critério da autoridade superior.

A solicitação de abertura de sindicância foi feita no início da semana pelo presidente da CPI da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). No ofício encaminhado ao presidente da Casa, senador Renan Calheiros, e o ao diretor-geral, Luiz Fernando Bandeira de Mello, ele pediu a “instauração de sindicância com a finalidade de apurar a ocorrência de irregularidade administrativa”. Rêgo também pediu investigação pela Polícia Federal.

Dia 23: Ex-presidente e diretores da Petrobras terão de devolver em US$ 792,3 milhões

De acordo com a denúncia, baseada em um vídeo de uma reunião com a participação de três empregados da Petrobras, a manipulação teria a participação de senadores. O relator da CPI, senador José Pimentel (PT-CE), negou que tenha se reunido com depoentes para combinar perguntas e respostas.

Leia tudo sobre: senadocpi da petrobrascpisindicância

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas