Deputado Júlio Delgado apresentou no fim da noite de 3ª seu voto pela cassação do deputado André Vargas (sem partido-PR)

Agência Brasil

O deputado Júlio Delgado (PSB-MG) apresentou no fim da noite de terça-feira (5), no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, seu voto pela cassação do deputado André Vargas (sem partido-PR). Houve pedido de vista do parecer, o que adia a análise do caso por duas sessões do Plenário da Câmara. Com o pedido de vista, o parecer será votado somente em setembro.

Maio: PT pede mandato de André Vargas ao TSE por desfiliação partidária

Vargas é suspeito de intermediar com o Ministério da Saúde contratos em favor do laboratório Labogen, do doleiro Alberto Youssef (foto de arquivo)
Alan Sampaio / iG Brasília
Vargas é suspeito de intermediar com o Ministério da Saúde contratos em favor do laboratório Labogen, do doleiro Alberto Youssef (foto de arquivo)

O pedido de vista foi feito pelos deputados Sibá Machado (PT-AC), Zé Geraldo (PT-PA), Izalci (PSDB-DF) e Rosane Ferreira (PV-SP). Vargas é suspeito de intermediar com o Ministério da Saúde contratos em favor do laboratório Labogen, do doleiro Alberto Youssef, que foi preso em março pela Polícia Federal , na Operação Lava Jato, por participação em esquema de lavagem de dinheiro.

André Vargas compareceu na tarde de terça-feira no Conselho de Ética e garantiu que não houve quebra de decoro, mas disse que só falaria após o depoimento de quatro testemunhas, que não foram ouvidas devido ao fim do prazo das investigações.

Como seu pedido foi rejeitado, Vargas retirou-se e anunciou que vai recorrer à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara e ao Supremo Tribunal Federal (STF) por considerar que houve cerceamento ao seu direito de defesa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.