Romeu Tuma Júnior é levado para depor na sede da Polícia Federal em São Paulo

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-secretário nacional de Justiça teria sido intimado pela Polícia Federal diversas vezes, mas não atendeu às notificações; Tuma Júnior classificou condução coercitiva como ilegal

Agência Brasil
Tuma Júnior foi levado para depor na Superintendência da Polícia Federal, em São Paulo, nesta terça-feira: esclarecimento sobre fatos citados no livro 'Assassinato de Reputações - Um crime de Estado' (05.08)

O ex-secretário nacional de Justiça Romeu Tuma Júnior foi levado, na tarde desta terça-feira (5), para depor na Superintendência da Polícia Federal, em São Paulo. De acordo com a PF, a ação teve como motivação uma representação do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), com reportagem da Revista Veja, "noticiando supostos crimes narrados no livro 'Assassinato de Reputações – Um crime de Estado'". 

Em sua página no Facebook, Tuma Júnior classificou a condução coercitiva -- o ato de levar alguém a algum lugar contra sua vontade -- como ilegal. "O Estado Policial em ação: PF quer me prender com 4 agentes dentro do meu escritório de Advocacia! Motivo: O livro Assassinato de Reputações, um Crime de Estado!", escreveu ele. 

A Polícia Federal informou que desde fevereiro havia intimado o autor do livro a esclarecer os fatos mencionados na obra, sem sucesso. Logo após prestar depoimento, Tuma Júnior foi liberado. 

"Gesto de intimidação e truculência! Tudo que eles querem saber eu já informei por escrito mais de um mês atrás! Vou enfrentar essa Máfia PTralha!", postou ele em sua rede social.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas