Zé Maria defende redução da jornada de trabalho para 36 horas

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Em visita à montadora, candidato do PSTU criticou ainda capacidade dos incentivos fiscais preservarem empregos

Agência Brasil

Zé Maria, candidato à Presidência da República pelo PSTU, visitou nesta terça-feira (29) os metalúrgicos da General Motors (GM), na unidade de São Caetano do Sul da montadora. O presidenciável estava aompanhado da candidata a vice Cláudia Durans. Ele defendeu a redução da jornada de trabalho para 36 horas semanais, sem redução do salário, como meio de gerar mais postos de trabalho e estabilidade no emprego.

Romerito Pontes/PSTU
Zé Maria acredita que diminuição da jornada de trabalho é melhore maneira de preservar empregos


Na avaliação dele, os incentivos fiscais se mostram inócuos na preservação dos empregos. “Se dar dinheiro público para as empresas resolvesse o problema do emprego, os trabalhadores das montadoras teriam estabilidade no emprego pelo resto da vida, de tanto recurso que já foi dado a elas. As montadoras receberam por anos incentivos fiscais. Só com a desoneração fiscal e o Programa Inovar Auto, os cofres públicos deixaram de arrecadar das empresas R$ 27 bilhões”, apontou o candidato.

Leia mais: Por voto católico, presidenciáveis rezam e homenageiam santos

Ele acrescentou que, além desses recursos, tem o dinheiro repassado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que deixa de ser aplicado em “ saúde, educação, transporte e moradia”. Com os recursos que o governo deixa de arrecadar, na opinião do candidato, poderiam ocorrer investimentos em áreas sociais.

Zé Maria também defendeu que o valor da remessa de lucros das montadoras ao exterior, estimado por ele em R$ 30 bilhões nos últimos quatro anos, seria suficiente para evitar as demissões no setor.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas