Boicote é visto como a primeira reação prática do Planalto contra o informe de Santander contra a reeleição de Dilma

O Governo Federal resolveu boicotar o 3º Encontro Internacional de Reitores Universia, um evento de educação considerado "menina dos olhos" do presidente mundial do Banco Santander, Emilio Botín.

O boicote do governo é considerado a primeira reação prática do Planalto contra o informe que o Santander encaminhou a seus clientes “vips” na última semana . O documento, enviado para correntistas de alta renda, apontava para o risco de deterioração da economia no caso da reeleição de Dilma Rousseff .

Entenda o caso: Santander faz críticas a Dilma em extrato de clientes

Realizado no Rio de Janeiro na segunda-feira (28) e nesta terça (29), o evento milionário da instituição reúne mais de 1 mil reitores de todas as partes do mundo - com representantes de Yale (EUA) a Moçambique - e uma centena de jornalistas.

Ação: Santander anuncia que vai demitir todos os responsáveis por informe

Convidados para a abertura do encontro, a presidente Dilma e o vice-presidente Michel Temer não compareceram - Temer era esperado para abrir a conferência na segunda. Além da ausência da representação máxima do governo brasileiro, a alta cúpula do Ministério da Educação (MEC) também cancelou, de última hora, sua participação.

Leia também: Santander pede desculpas após crítica a Dilma

Representantes do MEC e da Fundação Capes - a agência de fomento da pasta -, simplesmente, não apareceram. Em seus lugares, foram alocados reitores "tapa-buracos" para apresentação das palestras anteriormente previstas.

Apenas uma representante do MEC compareceu, mas desistiu de apresentar uma palestra e ficou reclusa em uma das salas do encontro. Tanto o secretário-executivo da pasta, Luiz Cláudio Costa, quanto o presidente da Capes, Jorge Guimarães, não compareceram ao fórum Universia, que discute o futuro da educação superior.

Segundo o iG apurou, o governo orientou, de forma expressa, que os principais reitores das universidades federais brasileiras não comparecessem ao encontro – muitos deles, no entanto, não cumpriram a orientação.

Outro lado

A ausência de representantes do alto escalão vem sendo amenizada e é vista com certa “naturalidade” pela organização do evento bancado pelo banco. “Ela [a presidente Dilma] estava ocupada”, afirmou à reportagem o presidente do Santanter, Emilio Botín.

Presidente do Santander, Emílio Botín, informou que já prestou esclarecimentos para o governo sobre episódio e dá 'assunto como terminado'
Divulgação
Presidente do Santander, Emílio Botín, informou que já prestou esclarecimentos para o governo sobre episódio e dá 'assunto como terminado'

Questionado sobre o custo do evento, a organização não forneceu o valor total gasto. O encontro é realizado a cada quatro anos em diferentes países do mundo. Uma das propostas do fórum Universia é fortalecer uma rede de universidades iberoamericanas.

Até o fechamento desta reportagem, nem o governo federal nem a organização do evento se posicionaram sobre a ausência da cúpula do governo.

*O repórter viajou a convite da Universia/Santander

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.