Com agricultura forte e carne bovina para exportação, Rondônia tem 5 candidatos

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Atual governador, Confúcio Moura (PMDB), busca a reeleição. Irmã do senador Ivo Cassol tenta chegar ao governo pela 1ª vez

Agência Brasil

Dono do terceiro maior Produto Interno Bruto (PIB) da Região Norte e 21º do Brasil, o Estado de Rondônia contribui com 0,7% do PIB nacional, com R$ 27,8 milhões. A agropecuária é a mola-mestra do desenvolvimento econômico do Estado, que tem a carne bovina como principal produto de exportação. A agricultura, sobretudo o cultivo de soja, é também importante fonte da renda local.

Eleições 2014: 171 candidatos a governador disputam a preferência do brasileiro

Futura Press
Governador de Rondônia, Confúcio Moura, durante Convenção Estadual do PMDBna Assembleia Legislativa de São Paulo em 9/12/2012

São 6,58 habitantes por quilômetro quadrado (km²), distribuídos em um território de pouco mais 237 mil km². De uma população estimada em 1,7 milhão, 1,1 milhão estão aptos a votar nas eleições deste ano. Destes, 62.757 são analfabetos, 364.597 não completaram o ensino fundamental e 64.757 têm ensino superior completo.

A corrida eleitoral em Rondônia tem cinco candidatos, entre eles o atual governador, Confúcio Moura, do PMDB, que busca a reeleição. Moura tem 66 anos, ensino superior completo e é natural de Dianópolis, Tocantins. Antes de chegar ao governo de Rondônia, foi duas vezes prefeito de Ariquemes – o primeiro mandato foi obtido em 2004 e o segundo, em 2008.

A advogada Jaqueline Cassol, de 39 anos, tenta chegar ao governo pela primeira vez. Irmã do senador Ivo Cassol, que foi governador do Estado entre 2003 e 2010, Jaqueline ocupou cargos no Executivo rondoniense nesse período. Ela nasceu em São Miguel do Oeste, Santa Catarina, e é candidata pelo PR.

O PSDB concorre com Expedito Júnior, de 51 anos, que é professor do ensino médio. Nascido em Guararapes, São Paulo, Expedito Júnior foi eleito senador em 2006 e, quatro anos depois, tentou se candidatar a governador, mas teve o registro negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base na Lei da Ficha Limpa. Em 1º de outubro deste ano, a quatro dias do pleito, encerra-se o período de inelegibilidade e ele poderá disputar o cargo.

O candidato do PT Padre Ton, de 46 anos, tenta chegar ao governo após bom retrospecto em eleições anteriores. Foi eleito prefeito de Alto Alegre dos Parecis em 2004 e reeleito em 2008. Desde 2010, é deputado estadual. Padre Ton nasceu em Oeiras, Piauí, e tem curso superior completo.

O PSOL entra na disputa com o comerciante Pimenta de Rondônia, que tem 49 anos e nasceu em Cidade Gaúcha, no Paraná. Pimenta de Rondônia tem o ensino médio completo e disputou duas últimas as eleições. Em 2010, tentou chegar ao Senado e, em 2012, concorreu a uma cadeira na Câmara Municipal de Porto Velho, mas não foi eleito.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas