Campos com Alckmin no interior não ameaça Aécio, minimiza campanha do governador

Por Wanderley Preite Sobrinho - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

De olho no 2º turno, comitê de Aécio evita confronto com Campos, que distribui santinhos em que aparece com Alckmin

Divulgação
Santinho de Campos com Alckmin: candidato do governador à presidência é Aécio Neves

No comitê de reeleição do governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB), panos quentes. Na campanha do candidato tucano à presidência Aécio Neves, irritação. É assim que cada campanha tenta conciliar interesses divergentes a respeito de cartazes e santinhos que ganham o interior de São Paulo: a que mostra o governador, líder folgado nas pesquisas de intenções de voto, lado a lado com o candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos.

As imagens dos dois ganharam o noticiário esta semana, quando Campos, a convite do deputado federal Márcio França (PSB), percorreu cidades importantes do interior paulista para inaugurar comitês de campanha.

A contragosto da vice-candidata de Campos, Marina Silva, e da ala do PSB em São Paulo liderada pela ex-prefeita Luiza Erundina, França costurou uma aliança com os tucanos e emplacou seu nome como vice de Alckmin.

Será? Para governar sem Sarney, ‘nova política’ de Campos terá de unir PT e PSDB

Ao contrário de Marina, que mandou desaparecer com as fotos em que surgia ao lado do governador, Campos não viu problema em se ver ao lado do paulista em cartazes e santinhos, embora o candidato oficial de Alckmin ao Planalto seja Aécio.

Divulgação
Marina não gostou e mandou retirar cartazes com sua imagem ao lado do governador

Os cartazes aparecem em um momento da campanha em que Aécio prioriza sua exposição no interior de São Paulo, uma vez que acha difícil vencer Dilma e Campos no nordeste. Questionado a respeito, o comitê do tucano prometeu um posicionamento oficial, mas desistiu de responder.

Interlocutores afirmam que qualquer manifestação poderia indispor o PSDB com Campos, cujo apoio será cortejado se Aécio encarar a presidente Dilma Rousseff no segundo turno. Alguns partidários não veem muito problema na propaganda enganosa, já que os votos no ex-governador pernambucano podem forçar o segundo turno.

Mais: Políticos fogem de fatos impopulares em ano eleitoral

Skaf é desconhecido para 80% de eleitores das pequenas cidades paulistas

Para outros membros da campanha presidencial tucana, o material tem o potencial de confundir o eleitor do interior, onde Alckmin é muito popular. Pesquisa Datafolha mostra o governador com 54% das intenções de voto, margem que o reelegeria no primeiro turno se a eleição fosse hoje.

Panos quentes

Já para a campanha do governador, o uso de Alckmin na propaganda de Campos já era esperado, embora a aliança entre os partidos seja apenas estadual. “Não vamos nos intrometer no material do PSB”, afirmou à reportagem o coordenador da campanha de reeleição, deputado federal Edson Aparecido.

O coordenador acredita que a tentativa de Campos de colar na popularidade do governador não tem potencial de tirar votos de Aécio, uma vez que Alckmin declara voto no correligionário. “É natural que façam material com o governador. Esse uso é legalmente permitido e politicamente aceitável”, contemporizou. “O importante é que, no material do PSDB, Alckmin esteja com Aécio Neves.”

Leia tudo sobre: geraldo alckminalckminaécioaécio nevesmarina silvapsdbpsbeleiçõeseleiçõe 2014cartazsantinho

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas