Velório de Ariano Suassuna vai reunir Dilma e Eduardo Campos no Recife

Por Luciana Lima , iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-presidente Lula cogitou ir, mas manterá agenda em São Paulo. Aécio Neves emitiu nota lamentando o falecimento

Em meio à campanha eleitoral, o velório do escritor, dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna será palco de um encontro político com dois dos principais candidatos à Presidência da República, a presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição, e Eduardo Campos, que rompeu com o governo no final do ano passado para lançar sua candidatura.

Após o rompimento dos socialistas, Dilma, tendo como principal cabo eleitoral o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e Campos, escoltado por sua vice, Marina Silva, disputam palmo a palmo o eleitorado nordestino, principalmente em Pernambuco, terra natal de Lula e de Campos, que governou o estado por dois mandatos.

Homenagem: Corpo de Ariano Suassuna é velado no Recife
Leia também: Família e amigos dão adeus a Ariano Suassuna
Saiba mais: Com morte de Suassuna, ABL perde três imortais em um mês

Dilma não esteve nos velórios de outros dois escritores que morreram recentemente: Rubem Alves e João Ubaldo Ribeiro.

Desta vez, a presidente cancelou a agenda oficial que cumpriria no Rio de Janeiro para participar do velório. Ela manteve apenas sua agenda de campanha. De Recife ela seguirá para o Rio de Janeiro, onde jantará em São João de Meriti com um grupo de prefeitos do PMDB que apoiam sua candidatura. A previsão é de que ela chegue ao velório às 14 horas.

No Twitter, Dilma disse que o Brasil perdeu “uma grande referência cultural” e que Suassuna “foi capaz de traduzir a alma, a tradição e as contradições nordestinas em livros como 'Auto da Compadecida' e 'A Pedra do Reino'. A obra de Suassuna é essencial para a compreensão do Brasil. Guardo comigo ótimas recordações de nossos encontros e das suas histórias”.

Já Eduardo Campos cancelou duas viagens, ao Rio de Janeiro e ao Acre, para participar do velório. Suassuna é tio da mulher de Eduardo Campos, Renata Campos. A previsão é de que ele passe a tarde no velório até o horário do sepultamento, às 16h desta quinta-feira.

O escritor Ariano Suassuna. Foto: DivulgaçãoO escritor Ariano Suassuna (06/05/2012). Foto: Rosilda Cruz/ SecultBAO escritor Ariano Suassuna (06/06/2012). Foto: Lello Santana/ Flickr CommonsO escritor Ariano Suassuna em foto de julho de 2013. Foto: Agência BrasilO escritor Ariano Suassuna em foto de julho de 2013. Foto: Agência BrasilO escritor Ariano Suassuna em foto de julho de 2013. Foto: Agência BrasilO escritor Ariano Suassuna em foto de julho de 2013. Foto: Agência BrasilO escritor Ariano Suassuna em foto de 2007. Foto: Agência Brasil

Suassuna era um quadro histórico do PSB, participou dos governos de Eduardo Campos como secretário de Cultura e sempre foi apoiador e amigo de Lula. Morreu na noite de quarta-feira (23), aos 87 anos, em decorrência de uma parada cardíaca provocada por hipertensão intracraniana.

Lula chegou a cogitar ir ao velório, mas manteve sua agenda de compromissos em São Paulo. O ex-presidente homenageou o amigo por meio de uma nota. Disse que Suassuna “nunca se esqueceu de que era um homem do povo” e "fez muito pelo povo brasileiro através de suas palavras”.

“É imensa a tristeza de receber a notícia de que um amigo tão querido como Ariano Suassuna nos deixou. Este paraibano de língua afiada, alma solidária, escrita ao mesmo tempo simples e profunda, sempre nos honrou com sua amizade”, lamentou Lula nas redes sociais.

Já o candidato tucano Aécio Neves lamentou a morte de Suassuna por meio de nota publicada nas redes sociais. “Ariano Suassuna foi antes de tudo um homem apaixonado pelo Brasil. Um homem raro, a quem devemos profunda admiração. Meus sentimentos!”, escreveu em seu perfil na rede social.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas