Infraero avalia se tenta recurso contra leilão de prédio da Vasp

Por Brasil Econômico - Gilberto Nascimento |

compartilhe

Tamanho do texto

No entendimento da Justiça, prédio pertencia à companhia aérea e, com a sua falência, os valores arrecadados com a venda devem ser usados para se pagar créditos trabalhistas

Brasil Econômico

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) ainda estuda se vai tomar alguma medida contra o leilão de um conjunto de prédios da Vasp no aeroporto de Congonhas (SP), o segundo mais movimentado do País. No entendimento da Justiça, o prédio pertencia à companhia aérea e, com a sua falência, em 2008, os valores arrecadados com a venda devem ser usados para o pagamento de créditos trabalhistas.

Leia mais:
Imóvel da Vasp dentro de Congonhas vai a leilão

A União já havia recorrido contra a venda, sob a alegação de que ele havia sido construído dentro do sítio aeroportuário, uma área federal. “A posse do imóvel transitou em julgado no ano passado e, por isso, o leilão foi marcado”, explica o juiz Daniel Carnio Costa, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais da capital paulista. Segundo ele, o registro mostra que o imóvel fica ao lado do aeroporto, fora de seus limites.

No total, será vendido um conjunto com área construída total de 15 mil metros quadrados. Segundo a Infraero, após o leilão, a área deve ser segregada do aeroporto. Outros imóveis ao lado, também pertencentes a companhias aéreas, ficam interligados com o espaço público. A Vasp utilizava uma área de 118 mil metros quadrados dentro do aeroporto, em torno de 10% de sua área total, e existe um projeto para que seja utilizada na ampliação de Congonhas.

O juiz conseguiu a retirada de bens da Vasp desta região para devolvê-la à União. A estatal afirma que o leilão não prejudica os projetos em estudo nem pretende fazer uma proposta para ficar com o terreno. Os lances do leilão serão recebidos a partir do próximo dia 21 e o pregão presencial de fechamento está marcado para dez dias depois. Outros cinco leilões de objetos da Vasp serão realizados.

CDH discute filhos afastados de pais internados
A Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados discute nesta quarta-feira (16), em audiência pública, a situação de filhos separados dos pais em razão da política de segregação de pacientes de hanseníase. Os filhos dos internos dos então chamados leprosários, existentes até 1986, eram entregues compulsoriamente para a adoção.

O Brasil é atualmente o país com mais novos casos da hanseníase no mundo e o segundo em número de pessoas que vivem com a doença, atrás apenas da Índia. O Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan) defende o pagamento de indenizações para quem foi separado de sua família em razão da política. O governo federal estima que existem entre 15 mil e 25 mil pessoas nessa situação.

Pacientes recebem
Desde 2007, o governo paga uma pensão vitalícia de um salário-mínimo e meio para as pessoas que foram isoladas nos hospitais colônia em razão da hanseníase. Até janeiro de 2014, foram concedidas 8.916 indenizações. Atualmente, 6.766 pessoas recebem o benefício e outros mil processos ainda aguardam julgamento.

Leia também:
Justiça paulista coleciona 819 processos contra falida Vasp
Leilão de aviões da falida Vasp arrecada R$ 1,9 milhão

Evangélicos arrendam a antiga MTV
A Igreja Mundial do Poder de Deus, comandada pelo apóstolo Valdemiro Santiago, arrendou o canal que era usado pela antiga MTV (canal 32 da UHF em São Paulo) para transmitir em tempo integral a sua programação religiosa. O valor pago gira em torno de R$ 5 milhões a R$ 7 milhões por mês. A emissora atualmente pertence ao empresário José Roberto Maluf, do grupo Spring (que edita a revista Rolling Stone no País), e aos irmãos Paulo e Roberto Garcia, da Kalunga.

Programação religiosa desde o dia do acordo
O apóstolo Valdemiro Santiago chegou a um acordo com os proprietários da emissora na tarde da última sexta-feira (11) e começou a transmitir a sua programação no mesmo dia. O primeiro programa foi uma vigília feita na nova sede nacional da igreja, a Cidade Mundial do Sonho de Deus, em Santo Amaro, na zona sul da capital paulista..

A origem política do Aécio é mais conservadora do que a minha. Ele participou do ciclo do Fernando Henrique e eu do ciclo de Lula. A diferença é que vejo os acertos de FHC e os tucanos não reconhecem os de Lula” 
Eduardo Campos, presidenciável (PSB), apontado suas diferenças em relação ao tucano Aécio Neves

*Leonardo Fuhrmann (interino)

Leia tudo sobre: brasil econômicovaspinfraero

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas