Após eliminação, Dilma diz que brasileiro sabe bem como lidar com adversidades

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Em entrevista à rede CNN, presidente amenizou goleada, mas disse que não imaginava derrota nem em seu pior pesadelo

Agência Brasil

Um dia depois de a Seleção Brasileira sofrer a maior derrota de sua história em campo - 7 x 1 diante da Alemanha -, a presidenta Dilma Rousseff disse em entrevista à rede CNN que “nem no pior pesadelo” poderia imaginar o resultado. Ela, no entanto, amenizou o fato, afirmando que o brasileiro tem uma característica peculiar de saber enfrentar as adversidades.

À emissora americana, a Dilma lembrou que o Brasil foi para o jogo, no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, sem dois dos seus principais jogadores, Neymar, craque e artilheiro do time, e Thiago Silva, capitão da equipe.

Em outro encontro, no Palácio do Planalto, a presidente voltou a comentar o resultado do jogo. De acordo com o fundador da Amil Assistência Médica Internacional, Edson Bueno, Dilma estava “um pouco abatida”, mas confiante de que o País vai superar este momento.

“Acabamos conversando muito sobre a Copa. Ela está um pouco abatida, mas é uma pessoa forte; ela foi para a guerra, então, é uma pessoa muito forte. Ela falou para mim: temos que ir em frente, temos que motivar o país. Nós discutimos o seguinte: se for [jogar] contra a Argentina [na disputa pelo terceiro lugar, no sábado], o negócio agora é ganhar de uns 4 a 0 porque a gente, pelo menos, fica um pouco melhor”, relatou Bueno.

Leia tudo sobre: dilma rousseffcopa do mundo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas