Se vencer, Skaf terá Henrique Meirelles na secretaria da Fazenda de São Paulo

Por Wanderley Preite Sobrinho - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Convite partiu “de surpresa” durante a convenção estadual do PSD, que também anunciou o ex-prefeito Kassab para o Senado

Depois do anúncio inesperado de que Gilberto Kassab será o candidato do PSD ao Senado, foi a vez do empresário Paulo Skaf, candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo, “improvisar” nova surpresa ao convidar o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles para ocupar a cadeira de secretario da Fazenda do Estado caso ele vença as eleições do dia 4 de outubro. O convite foi feito durante a convenção estadual do PSD, no centro da cidade.

Leia: Kassab vai disputar Senado na chapa de Paulo Skaf, do PMDB

Sexta: Kassab agrada Dilma e Serra e decide apoiar Skaf em São Paulo

Ao lado de Kassab e do vice-presidente da República Michel Temer, Skaf lembrou da justificativa de Meirelles para recusar a vaga ao Senado, segundo quem seu perfil é “executivo”. “Eu também tenho esse perfil de executivo. Então vou fazer o primeiro convite e dizer que ele, Meirelles, será nosso secretário da Fazenda. Você representa a competência, que será a característica do governo de São Paulo a partir do ano que vem.”

Depois do alvoroço que o convite provocou no auditório, Skaf e Kassab explicaram na coletiva de imprensa como a escolha foi feita. De acordo com os dois, antes de tomar a palavra, o peemedebista teria perguntado a Meirelles se ele podia fazer o convite ali mesmo. “Ele balançou a cabeça com um sim”, garantiu o candidato, endossado por Kassab: “Eu vi o momento em que os dois cochicharam”.

Ex-prefeito Gilberto Kassab conversa com Paulo Skaf, cuja candidatura PSD apoia em SP. Vice-presidente Michel Temer também compareceu à convenção. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloEx-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab é visto durante a convenção do PSD . Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloEx-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab chega à convenção do PSD . Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São Paulo


Para espantar a impressão de que foi pressionado a isso, o candidato assegurou que não houve reivindicação da vaga por parte do PSD. “Fiz o convite por se tratar de um economista de prestígio internacional.”

Sobre a escolha de Kassab para a vaga no Senado, só elogio: “Ele merecia ganhar um prêmio de inovação na política. Ele criou um partido quando ninguém achava possível.”

Governo do Estado

Ainda no auditório, Skaf usou sua fala para pontuar críticas ao governo Geraldo Alckmin (PSDB). Sem citar nomes, falou do orçamento do Estado, “de R$ 200 bilhões, maior do que muitos países”: “Não falta dinheiro, falta gestão.”.

O peemedebista, então, lembrou da falta de água no Sistema Cantareira, um problema que o Estado havia enfrentado dez anos atrás. “De lá pra cá, os vazamentos aumentaram e estamos com falta de água de novo. Faltou chuva? É verdade. Mas faltou investimento.”

Ele concluiu afirmando que a estrutura do governo está parada na década de 1980. “Você chega a uma delegacia e você volta a 1980. Aí você vai entrar em uma agência bancaria e chega a 2014. As estruturas estatais em São Paulo estão velhas e precisam mudar.”

Leia tudo sobre: psdkassabpaulo skafeleições 2014pmdbHenrique Meirelles

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas