Kassab vai disputar Senado na chapa de Paulo Skaf, do PMDB

Por Wanderley Preite Sobrinho - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Anúncio é feito por Afif Domingos durante convenção do PSD, que confirmou apoio à candidatura do peemedebista em SP

O ministro-chefe da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, aproveitou a convenção estadual do PSD para lançar nesta segunda-feira (30) a candidatura do ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab ao Senado. O encontro estava marcado para ratificar a aliança da legenda com o candidato do PMDB ao governo do Estado, Paulo Skaf.

Sexta: Kassab agrada Dilma e Serra e decide apoiar Skaf em São Paulo

Espaço deixado por Quércia: Kassab se transforma no cacique da vez em SP

Sob aplausos e surpresa dos correligionários, o ministro fez o anúncio assim que concluiu seus agradecimentos ao microfone. "Não tenho dúvida de que seria muito importante [...] convocar um batalhador para somarmos com Skaf, lançando Gilberto Kassab para o Senado", anunciou o ministro. Ele também indicou Alda Marco Antônio para a suplência do Senado. 

Ex-prefeito Gilberto Kassab conversa com Paulo Skaf, cuja candidatura PSD apoia em SP. Vice-presidente Michel Temer também compareceu à convenção. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloEx-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab é visto durante a convenção do PSD . Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São PauloEx-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab chega à convenção do PSD . Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iG São Paulo

Kassab escalou para a convenção seus principais aliados. Além de Afif, o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, o ex-governador Cláudio Lembo e a ex-vice-prefeita Alda Marco Antônio. Já Skaf levou o vice-presidente Michel Temer e o presidente estadual do PMDB, Baleia Rossi.

A decisão de entregar seus 90 segundos de horário político a Skaf agradou ao PT, que na semana passada recebeu o apoio do PSD à reeleição da presidente Dilma Rousseff. A avaliação é de que as candidaturas conjuntas de Skaf e do petista Alexandre Padilha podem tirar votos do governador Geraldo Alckmin (PSDB), forçando o segundo turno.

Com a decisão, Kassab se aproxima mais do PT e se afasta do tucano responsável por sua ascensão política ao lançá-lo candidato a vice-prefeito de José Serra (PSDB) no pleito de 2004.

Mas o alívio petista foi por pouco. É que, para aumentar seu tempo na TV, Alckmin chegou a oferecer a Kassab a vaga de vice em sua chapa. Diante da demora em receber uma resposta, o governador concedeu o posto ao PSB e entregou ao ex-prefeito a opção de se candidatar ao Senado, proposta recusada na sexta-feira (27), quando o nome de Skaf foi referendado.

Depois de reeleger Dilma presidente, o principal objetivo do PT é vencer o PSDB em São Paulo, há 20 anos no Palácio dos Bandeirantes. A tarefa será dura. Pesquisa Datafolha do dia 7 de junho coloca Alckmin em primeiro lugar nas intenções de voto, com 44%, seguido por Skaf (21%) e Padilha (3%).

Leia tudo sobre: psdkassabgilberto kassabpaulo skafpmdbeleições 2014

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas