Aécio garante palanque no Ceará em aliança com PMDB

Por Luciana Lima - iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

A chapa encabeçada pelo senador Eunício Oliveira foi oficializada neste domingo, só deverá ser alterada, caso Aécio convide Tasso Jereissati para ser seu vice na corrida presidencial

Divulgação
Tasso Jereissati (PSDB), ao lado de Eunício de Oliveira (PMDB), lança chapa de oposição no Ceará neste domingo (29)

Com a definição das coligações que vão disputar o governo do Ceará, o senador mineiro Aécio Neves (PSDB) acabou fincando um palanque forte no Estado e garantindo uma boa entrada no Nordeste, região considerada como problema para a inserção do mineiro. Aécio acabou abocanhando um palanque até então contabilizado como certo pela campanha de Dilma Rousseff, liderado pelo senador Eunício Oliveira (PMDB), como candidato ao governo do Ceará.

A chapa oficializada neste domingo (29) tem como vice o ex-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa (PR), e como candidato ao Senado, o ex-governador e ex-senador Tasso Jereissati (PSDB). Embora a convenção tenha apresentado a chapa como fechada, a campanha de Aécio Neves ainda não descarta o convite para que Tasso seja vice do tucano na corrida presidencial.

Inicialmente, Eunício tentou ter o apoio exclusivo de Dilma Rousseff no estado e reproduzir a aliança prioritária firmada na disputa nacional entre PT e PMDB no Ceará. No entanto, a lealdade de Dilma Rousseff ao governador do Ceará, Cid Gomes, e ao seu irmão, Ciro, falou mais alto e o PT optou por caminhar com o PROS e lançar a candidatura ao governo do Estado do deputado estadual Camilo Santana (PT), apoiado pelos irmãos Gomes.

Dilma é grata aos irmãos Gomes que optaram por sair do PSB, quando o partido desembarcou do governo para lançar o nome do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, na disputa presidencial.

Esta coligação que reúne PT e PROS também foi oficializada neste domingo na convenção estadual. Para formar a chapa, o deputado federal petista, José Guimarães abriu mão de disputar uma vaga no Senado. Guimarães, que trabalhou para formar um palanque único para Dilma, com a presença de Ciro, Cid e Eunício, será candidato a reeleição.

O nome do vice só deverá ser anunciado na segunda-feira, mas o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Zezinho Albuquerque (PROS), é um dos mais cotados.

Para disputar a vaga do Senado, um dos nomes mais cotados é o do deputado estadual Mauro Filho (PROS), filho do deputado Mauro Benevides.

Leia tudo sobre: eleições 2014aécio nevesPSDBPTPROSPRPMDBEunício OliveiraDilmaTasso JereissatiCeará

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas