Petistas e aliados criticam saída do PTB do governo

Por Priscilla Borges e Wilson Lima - iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, classificou episódio como vergonhoso. Líder do PT na Câmara, Vicentinho (PT-SP), disse que saída era “muito triste”

Petistas e aliados criticaram na tarde deste sábado a saída do PTB da base aliada do governo. Ministros ficaram arredios em tocar no assunto ou classificaram o episódio como “vergonhoso”. A liderança do PT na Câmara disse que a saída do PTB é um “triste episódio”. Apesar disso, a liderança do PT acredita que não deve haver mudanças substanciais na campanha a partir de agora.

PT: Lula desafia adversários sobre corrupção e convoca militância contra preconceito

Convenção do PT: Falcão ataca tucanos e prega que ‘esperança vencerá o ódio’

Poder Online: Gilberto Kassab é vaiado ao subir a palanque

O anúncio da saída do PTB do governo e a adesão à candidatura do senador Aécio Neves (PSDB) foi feita pelo presidente do partido, Benito Gama, em Salvador na tarde deste sábado, instantes após o início da convenção que homologou a candidatura da presidente Dilma Rousseff. A posição do PTB será confirmada durante a convenção nacional do PTB marcada para o dia 27 deste mês.

O ministro das Comunicações Paulo Bernardo foi duro nas críticas à sinalização do PTB de que deixará a campanha de Dilma. “É um episódio vergonhoso. Eles fizeram almoço para anunciar apoio e agora deixam dessa forma? É uma vergonha. Precisamos de uma reforma política, porque as pessoas precisam saber quem é quem durante uma campanha”, afirmou Bernardo.

Para o ministro Manoel Dias (PDT), o PTB ainda não “debandou”. Caso deixe de apoiar a campanha presidencial, ele acredita que será uma perda, mas que não deve impactar os resultados. “Nunca é bom perder apoio, mas as convenções ainda estão sendo feitas, o governo terá apoio de quem acredita em projetos que estão afetando positivamente a vida das pessoas historicamente excluídas”, pondera.

Já o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, se mostrou arredio ao comentar a saída do partido da aliança com Dilma. Disse que o PT está aguardando as convenções dos partidos para consolidar alianças.

Para o líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (PT-SP), a saída do PTB é um “triste episódio”. “Perdemos tempo de TV, um bom aliado mas vamos ter que montar novas estratégias a partir de agora para compensar isso”, analisou Vicentinho. Já o ex-líder do PT na Câmara dos Deputados, José Guimarães (CE), foi irônico sobre a saída do PTB da base do governo. “Desejo boa sorte a eles”.

Leia tudo sobre: eleições 2014dilma rousseffptbpt

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas