Para presidente do STF, os bens do operador do mensalão devem continuar indisponíveis. Multa é de quase R$ 4,5 milhões

Agência Brasil

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, rejeitou nesta sexta-feira (13) pedido do empresário Marcos Valério para desbloquear seus bens para pagar a multa de R$ 4,44 milhões, definida na condenação a 37 anos e cinco meses de prisão na Ação Penal 470, o processo do mensalão.

Leia mais: Ministros do STF pressionam por análise de benefícios no mensalão

Barbosa expulsa advogado de Genoino do plenário do Supremo

Segundo Barbosa, os bens de Valério devem continuar indisponíveis para que sejam usados no ressarcimento dos cofres públicos.

Marcos Valério foi preso em BH, em 15 de novembro, e transferido para Brasília
Frederico Haikal / Wesley Rodrigues/Hoje em Dia / Futura Press
Marcos Valério foi preso em BH, em 15 de novembro, e transferido para Brasília

A defesa do empresário alega que ele não tem como pagar a multa porque suas contas bancárias estão bloqueadas. Para Barbosa, a medida adequada é venda de imóveis comprados por Valério e a transferência dos valores para os cofres públicos.

“O objetivo da medida constritiva consistiu em tornar indisponíveis os bens adquiridos no período da prática dos delitos, bem como bloquear o levantamento dos valores existentes nas contas das empresas envolvidas nos crimes apurados na Ação Penal 470. Assim, não pode o apenado pretender obter a liberação dos valores contidos na conta da empresa 2S Participações, que foram bloqueados para impedir que o acusado obtivesse proveito econômico com a prática dos delitos”, decidiu Barbosa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.