Vereadores irão pedir suspensão dos pagamentos do serviço 156 em São Paulo

Por Natália Peixoto - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Em reunião na quarta (03), comissão da Câmara municipal recomendará fim de repasses a empresa de empresário financiador do mensalão do DEM

A Comissão de Estudos de vereadores que investiga os contratos da Prefeitura de São Paulo com a empresa Call Tecnologia e Serviços, responsável pela gestão do “Disque 156” pedirá ao Tribunal de Contas do Município a suspensão dos pagamentos por suspeitas de superfaturamento. A recomendação será feita na reunião de quarta-feira (4), às 13h, na Câmara Municipal.

Leia também: 'Batman' escala Câmara Municipal de São Paulo para pedir mais saúde

“Como existe indícios de irregularidade e superfaturamento, a Comissão entendeu que é melhor suspender os repassasses”, explicou o vereador Eduardo Tuma (PSDB), membro do colegiado.

Na reunião de amanhã, os vereadores irão ouvir o chefe de gabinete da Secretaria de Comunicação da Prefeitura, José Jacinto do Amaral. Os vereadores também pedem que uma auditoria externa analisem os contratos entre a Prefeitura e a empresa que administra o serviço.

Investigação

A Câmara Municipal instalou no último dia 9 de abril uma Comissão de Estudos para analisar durante 60 dias os contratos firmados entre o executivo e a empresa Call Tecnologia e Serviços Ltda, responsável pelo 156, telefone da central de atendimento e informações da cidade. Há suspeitas de superfaturamento e desvios de funcionalidade do contrato, como o uso do dinheiro destinado a criação de um site na internet para outros fins.

A Call Center é do empresário José Celso Gontijo, um dos principais financiadores do mensalão do DEM no Distrito Federal,  flagrado entregando dinheiro ao operador do esquema, Durval Barbosa, em 2009.

O presidente da  Comissão na Câmara, o vereador Adilson Amadeu (PTB), disse durante a instalação do grupo que suspeita de um aumento “substancial” nos valores do contrato, sem justificativa.

Além de Amadeu, fazem parte da Comissão os vereadores Eduardo Tuma e Gilson Barreto, Anni (PV) e Ari Friedenbach (PROS).

Leia tudo sobre: igsp156investigaçãoCâmara Municipal

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas