PT pede mandato de André Vargas ao TSE por desfiliação partidária

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Deputado saiu do PT após denúncias de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef. Partido pretende ficar com a vaga

Agência Brasil

O PT entrou com pedido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para decretar a perda do mandato do deputado federal André Vargas (sem partido–PR) por desfiliação partidária. O partido pretende ficar com a vaga para dar posse ao suplente. A relatora da petição é a ministra Luciana Lóssio, que deu prazo de cinco dias para Vargas se manifestar.

Leia também:

André Vargas volta à Câmara depois de suspender licença

Juiz envia investigação ao presidente do STF

No dia 25 de abril, Vargas desfilou-se do PT, após 24 anos de filiação à legenda. O deputado responde a processo de cassação no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, por envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia federal na Operação Lava Jato.

De acordo com o PT, Vargas não prestou, de acordo com a lei, as justificativas para sua desfiliação. “Resta caracterizado, a toda evidência, o desligamento voluntário da agremiação e exposição de motivos pessoais alheios ao programa partidário ou que denotem discriminação.”, argumentou o advogado do PT.

Em 2007, a Resolução 22.610 do TSE definiu quatro hipóteses em que parlamentares podem mudar de partido sem perda do mandato. De acordo com o tribunal, é justa causa para desfiliação partidária a criação de partido, incorporação ou fusão de partido, mudança ou desvio do programa partidário e discriminação pessoal.

O deputado André Vargas não foi localizado pela Agência Brasil. A assessoria disse que não há previsão de o deputado se pronunciar sobre o pedido do PT.

Leia tudo sobre: André VargasPTAlberto Youssef

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas