Para Laurita Vaz, não houve propaganda eleitoral antecipada, mas as imagens apontam ‘de forma dissimulada’ para a continuidade do atual governo

A ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Laurita Vaz determinou nesta quarta-feira (21) a suspensão imediata de uma inserção nacional produzida pelo PT e veiculada no dia 13 de maio na qual o partido usa um tom dramático para “alertar” o eleitor sobre os “fantasmas do passado”. Ainda cabe recurso da decisão.

Leia mais: PT usa tática do medo em propaganda na TV que vai ao ar hoje

PT usa tática do medo em programa na TV
Divulgação
PT usa tática do medo em programa na TV

Em sua decisão, a ministra disse que “mesmo que o teor da peça não imponha, como pretende o representante [PSDB], a conclusão de tratar-se de "propaganda eleitoral antecipada”, sinaliza, ainda que de forma dissimulada, para a continuidade do atual governo, com associação de imagens e ideias negativas ao passado, a incutir no espectador que isso ocorreria caso se desse ouvidos a falsas promessas”. De acordo com Laurita, o ato fere as normas previstas na Lei dos Partidos Políticos.

O PSDB, que havia entrado com a representação no TSE, afirma que a publicidade tem o propósito "de influir no pleito de 2014, objetivando beneficiar a manutenção do partido representado [PT] no Poder Executivo Federal”. Segundo a legenda, o espaço teria sido usado para fazer “propaganda negativa dos opositores do governo”, quando na peça se referiram aos mesmos dizendo: “Não podemos deixar que os fantasmas do passado voltem”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.