Câmara notifica André Vargas sobre processo de cassação pelo Diário Oficial

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Sem conseguir localizar deputado, Conselho de Ética decidiu usar documento oficial para avisá-lo sobre a instauração do processo de cassação de seu mandato

Agência Brasil

Alan Sampaio / iG Brasília
André Vargas deixou o PT após ser enfraquecido por denúncias

Após cinco tentativas frustradas de localizar o deputado André Vargas (atualmente sem partido), o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados recorreu ao Diário Oficial da União para conseguir notificar o parlamentar da instauração do processo de cassação de seu mandato. Assinado pelo presidente do conselho, deputado Ricado Izar (PSD), o edital de notificação está publicado na edição de hoje (13).

Para o Supremo: PF enxerga caráter suspeito de mensagens entre Vargas e doleiro, informa juiz

Licenciado do cargo desde o início do mês passado, Vargas terá dez dias úteis para apresentar defesa escrita, arrolar testemunhas e entregar os documentos que julgar necessários para responder às denúncias de envolvimento com o doleiro Alberto Yousseff, preso pela Polícia Federal (PF) durante a Operação Lava Jato. O deputado já admitiu conhecer Yousseff e ter aceitado viajar em um avião fretado pelo doleiro, mas nega ter usado de sua influência parlamentar para beneficiar Yousseff.

Leia também: Abalado até no PT, André Vargas fica mais vulnerável no Conselho de Ética

O processo de cassação foi instaurado no início do mês passado, a partir de representação dos partidos PSDB, DEM e PPS. Vargas pode perder o mandato parlamentar caso os deputados concluam que ele é culpado das acusações. Após a prisão de Yousseff e as denúncias contra Vargas virem à tona, o parlamentar renunciou à vice-presidência da Câmara dos Deputados e se desfiliou do PT.

Na semana passada, o juiz Sérgio Fernando Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que a PF concluiu que a pessoa que trocou mensagens com o doleiro Alberto Youssef é mesmo o deputado licenciado André Vargas (sem partido-PR). Diante da conclusão, o juiz decidiu que enviará ao Supremo, na próxima semana, parte da investigação da Operação Lava Jato na qual o deputado é citado.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas