Haddad dá mais espaço ao PT e muda subprefeitos para melhorar imagem

Por Brasil Econômico - Gilberto Nascimento |

compartilhe

Tamanho do texto

Bom desempenho na Grande São Paulo é importante para a reeleição de Dilma e fundamental para as aspirações do candidato petista ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha

Brasil Econômico

Prefeito da maior cidade do País, Fernando Haddad (PT) tem feito mudanças na sua gestão para se tornar um cabo eleitoral à altura de seu cargo. Um bom desempenho na Grande São Paulo é importante para a reeleição de Dilma e fundamental para as aspirações do candidato petista ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha. Nos próximos dias, 18 subprefeitos devem ser substituídos. A ideia é unir a formação técnica com um perfil mais político. Haddad tentou colocar nas subprefeituras apenas engenheiros de carreira na administração municipal. Agora, a exigência é que as pessoas tenham experiência técnica na gestão pública, em qualquer um dos três níveis de governo. Com isso, o prefeito tenta romper um isolamento com setores do partido e da base aliada.

As mudanças na administração começaram com a abertura de mais espaço para o Construindo um Novo Brasil (CNB), corrente majoritária do PT, da qual fazem parte dois secretários escolhidos neste ano: Paulo Frateschi, de Relações Governamentais, e Chico Macena, que trocou o comando das Subprefeituras pela Secretaria de Governo. A CUT ficou com a secretária do Trabalho, comandada por Artur Henrique, ex-presidente da central. Outro grupo que aumentou seu espaço foi o Novo Rumo, do qual fazem parte o presidente nacional do partido, Rui Falcão, e o presidente da Câmara Municipal, José Américo. Forte principalmente em São Paulo, o grupo tinha grande poder na gestão da ex-prefeita Marta Suplicy e andava descontente com o atual prefeito. A comunicação institucional ganhou o status de atuação estratégica e passou a ser tratada diretamente por Macena.

Mais próximo

Outra mudança foi no estilo de governar do próprio prefeito, que passou a ter contato mais direto com a população de maneira geral e, em especial, com os militantes petistas. Ele já participou neste ano de plenárias nas zonas leste e sul, as duas mais populosas da cidade, nas quais ouviu críticas a sua gestão e sugestões.

Figuras racistas

Alunos de um tradicional colégio paulistano criaram uma nova regra para trocar figurinhas do álbum da Copa do Mundo de futebol deste ano: duas de jogadores negros valem apenas uma de jogador branco. Alertada, a direção da escola tem tomado iniciativas para acabar com a prática racista.

Simples anistia

A líder do PCdoB na Câmara, Jandira Feghali (RJ), aprovou uma emenda ao novo Simples para acabar com as multas geradas, a partir de 2012, pela Lei Complementar 139. A medida retirou da construção civil a exclusividade de pagamento dos 20% a microempreendedores individuais. Na época, poucas tiveram tempo de se regularizar.

Pelo reconhecimento às parteiras

A deputada Janete Capiberibe (PSB-AP) entrou com uma indicação para que o Ministério da Cultura reconheça oficialmente os saberes e práticas das parteiras tradicionais do Brasil como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro. Estima-se que existam 60 mil as parteiras tradicionais no País. Para a deputada, as parteiras são parte importante no debate do parto humanizado. A taxa nacional de cesarianas beira os 53%. A OMS considera ideal um percentual na faixa de 15%.

Ministro do STF prevê trovoadas para a Copa

“No horizonte de 2014, vemos muitas nuvens sinalizando tempestades”. A previsão é do ministro Marco Aurélio Mello, ao comentar as inevitáveis manifestações e protestos pelo país. No entender do ministro, há muitas necessidades represadas nos cidadãos e representantes de classe, que irão às ruas para fazer suas reivindicações, seja por melhores salários ou por serviços públicos de qualidade.

“É preciso de uma proposta nova, uma visão para o futuro. Defender uma economia baseada na alta tecnologia e uma educação que assegure escola igual para todas as crianças”

Cristovam Buarque, senador (PDT-DF), em crítica aos discursos dos presidenciáveis até agora

*Com Leonardo Fuhrmann

Colaborou Edla Lula

Leia tudo sobre: mosaico político

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas